• Dan Profirio

The Boys | Eric Kripke fala sobre o final da 2ª temporada e o que esperar do terceiro ano da série


Criador comenta sobre o season finale e o que esperar da próxima temporada.


Atenção! Spoilers do season finale da 2ª temporada de The Boys. Caso você não tenha assistido ainda, prossiga por sua conta e risco!!


Em entrevista ao Variety, Eric Kripke fala sobre encontrar uma maneira de finalmente derrubar Tempesta, o raciocínio de Butcher (Karl Urban) por trás de como ele lidou com Ryan, e o que esperar de Soldier Boy (personagem de Jensen Ackles) na 3ª temporada.


Confira abaixo alguns trechos da entrevista traduzidos:


Depois de revelar Victoria como a explodidora de cabeças, quanto de seu plano final você já tem definido?


Tendo destrinchado a maior parte da 3ª temporada, acho que temos uma boa ideia de onde a história dela vai e por que ela está fazendo o que está fazendo. Há algumas revelações e reviravoltas, e da mesma forma que fizemos com muitos outros personagens dos quadrinhos, Vic Neuman era um homem nos quadrinhos e ele acaba entrando cada vez mais fundo na política à medida que os quadrinhos avançam. É a noção assustadora de que pode haver um supe indo fundo na política americana, que já está ferrada o suficiente. Então começamos a jogar com Victoria dessa forma na 3ª temporada.


A 3ª temporada também apresentará Soldier Boy (Jensen Ackles) ao show. Será que ele será o inocente dos quadrinhos ou você vai torná-lo um dos mais implacáveis supes?


Acho que quem espera que Jensen apareça e seja um cara legal, ficará desapontado. Eu vou dizer isso! [Risos] Nos quadrinhos, ele é meio desajeitado e subserviente ao Homelander, eu diria. Enquanto o escrevemos, estamos começando a falar sobre a história da Vought porque ele é como John Wayne: um desses caras que existem há décadas de história da Vought. E ele era o Homelander antes do Homelander, então ele é de uma época diferente, mas tem o ego e a ambição - isso só aparece de uma maneira diferente porque é de uma época distinta.


Satisfatória é uma ótima maneira de descrever a luta entre Starlight, Kimiko e Maeve contra Tempesta, mas como o público sabia o quão poderosa Stormfront era ao ver balas ricocheteando nela, muitos provavelmente assumiram que as garotas não fariam mal real. O que determinou por quanto tempo deixar aquela cena continuar, e alguma coisa foi cortada?


Usamos praticamente tudo o que filmamos. Eu acho que os problemas maiores eram mais [sobre] ser o final da temporada e estávamos ficando sem tempo [e] estava ficando muito frio em Toronto muito, muito rápido. Estávamos apenas lutando para fazer as coisas, então no final do dia eu acho que só tivemos dois dias para filmar aquela luta - incluindo explodir toda a cabana, o carro rolando, todos os pedaços e pedaços; É muito para fazer em dois dias. Então era mais como enfiar dez quilos de mer** em um saco de cinco.



Havia também um monte de peças - especificamente emocionais - para o arco de Butcher no último episódio. Nos guie através de sua evolução de decisão sobre o que fazer com Ryan, primeiro fazendo um acordo com Stan (Giancarlo Esposito) para entregar Ryan para Vought, em seguida admitindo o que fez para Becca (Shantel VanSanten) e por fim dando Ryan para Grace (Laila Robins).


Em nossas mentes, ele realmente ia entregar a criança para Vought, separá-la de Becca e usar este arranjo para se livrar de Ryan. Ele tem sido tão obcecado com Becca o ano todo e é um personagem áspero, que toma um monte de decisões incrivelmente míopes e egoístas. E para nós, há um grande arco emocional que estávamos construindo com ele, pois Butcher percebe que sua propensão à violência supera Becca, e no Episódio 7 damos forma ao demônio em seu ombro, que é seu pai. E quantos de seus maus hábitos vieram dessa infância realmente traumática e deste homem horrível... Então agora sabemos quem é o anjo e quem é o diabo em seu ombro: Becca e seu pai. E como você está indo para o Episódio 8 e acreditando que tudo está perdido porque eles explodiram o Congresso, nós mapeamos como a primeira metade - ou a maioria - desse episódio sendo Butcher o seu pai, e ele vai vender essa criança para obter a coisa que ele quer, que é sua esposa. E então no momento em que eles realmente resgatam o garoto e ele vê Becca segurando Ryan, é como se ele não visse a criança tanto quanto o filho de Homelander, mas como o filho de Becca. Uma vez que isso acontece dentro dele, Butcher é capaz de virar as costas para o homem que seu pai era e está realmente tentando ser um homem melhor. Ele diz a Becca: "Você tem que sair porque eu não posso ser o único a criar esse garoto; Ele vai se tornar como eu" - o que significa que ele vai se tornar como meu pai. E no final, depois que Becca morre, Butcher pega aquele pé de cabra, e ele estava realmente pensando por um minuto que ele ia matar o garoto. Mas então Homelander vem, e [Butcher] acaba protegendo a criança, como era o último desejo de Becca. Então você vê que pelo menos por enquanto - e mesmo que seja a um grande custo - a humanidade ganha para Butcher nesta temporada.


Se ele tomou a decisão certa, o mesmo pode ser dito sobre Maeve? Afinal, ficar em silêncio sobre o mau comportamento pode permitir que o agressor continue; Qual é a obrigação dela para com o mundo que eles juraram proteger e você tirou isso de alguma inspiração do mundo real? Para nós, isso é na verdade algo inspirado nos quadrinhos reais, porque nos quadrinhos os meninos acabam recebendo material de chantagem contra Homelander - ele está matando um monte de gente, graficamente, e para nós, é o avião. Mas a ideia era, francamente, muito prática, pois estávamos apenas tentando criar algum tipo de restrição para Homelander e assim poderíamos gerar algum tipo de equilíbrio para que ele não mate todos automaticamente. Porque isso é o que ele estava prestes a fazer e você não pode escrever uma temporada quando tem um personagem todo-poderoso. Precisávamos de algo que amarrasse sua mão nas costas, e foi isso. Agora, eu não acho que seja tão fácil, para constar, a Maeve apenas liberar isso para que o mundo saiba o quão mau ele é. Ele diz no momento: "Se você fizer isso, eu destruirei tudo", então é uma opção muito nuclear de "Eu tenho essa coisa sobre você e se as coisas ficarem ruins o suficiente vou liberá-la e isso provavelmente resultará na morte de milhares.” Mas jogamos muito dessa questão na 3ª temporada, de "Será que realmente vamos mostrar ao mundo essa coisa, com as consequências que pode causar?" Acho que Maeve foi razoável; Eu acho que é muito imprudente lançar essa fita.


Há definitivamente momentos no final que parecem corresponder diretamente ao nosso mundo, desde a propaganda na qual os professores estão armados até a conferência de imprensa com Homelander dizendo "Estamos aqui para servi-los e protegê-los" quando o público sabe que os supes precisam de uma reforma, assim como o mundo real está pedindo a reforma policial. Mas existe uma linha que você não quer cruzar ou tópicos que você não quer tocar?


Não, acho que estamos vivendo em um momento incrivelmente conturbado por um milhão de razões; Acho que nos deparamos com esse programa que é uma metáfora bem apropriada para o exato momento em que estamos vivendo. Eu sinto que é uma das melhores qualidades do show - ele pode mergulhar o mais fundo possível em qualquer elemento da sociedade que está realmente acontecendo. Seth Rogen disse algo quando estávamos filmando o piloto que eu realmente levei a sério: "Você pode ter todos os tipos de loucura e mer** perturbadora desde que o público saiba que seu coração está no lugar certo." E assim passamos muito tempo nos perguntando, por exemplo, "Estamos socando figuras de autoridade e pessoas que precisam ser derrubadas, ou estamos socando as pessoas que já estão sofrendo?" E se for concluído que é a segunda opção, não fazemos isso porque queremos ser um programa que é sobre questionar a autoridade.


Eu acho que há muita esperança neste show, mas há uma parte dele na qual, como escritores, estamos um pouco irritados. Estou zangado com a falta de ação sobre tiroteios na escola! E nós derramamos tudo isso no humor negro e ácido dessa abertura. Ou se você olhar para todo o plano de Stan Edgar, que foi revelado nesta temporada, era como corporações que estavam dispostas a apoiar Trump porque ele serviu para seu propósito de venda, em última análise. E assim, você está disposto a desencadear uma força muito perigosa e divisiva na sociedade porque, em última análise, isso ajudará seus preços de ações. Toda a mitologia da temporada no final do dia - toda a trama da temporada - é baseada em algo que é muito real.


Confira a entrevista completa clicando em: Variety



Conteúdo Relacionado:

Curte podcasts? Escute o nosso Otageek Cast clicando aqui.



Apoie o Jornalismo Cultural Independente seguindo o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.
otageek amazon prime .jpg