• Raissa Sara

THE 100: a série que todo mundo precisa assistir - Parte 1

Atualizado: Jul 16

THE 100 é uma série de livros escrita por Kass Morgan e adaptada para série de TV em 2014 pelo canal estadunidense The CW. Atualmente, contém seis temporadas completas na Netflix.


Sinopse: noventa e sete anos após uma guerra mundial nuclear, a raça humana está vivendo no espaço. Então, cem delinquentes juvenis são enviados à Terra para ver se o planeta está em condições de ser habitado novamente.


ALERTA DE SPOILER


1ª TEMPORADA



A Terra sofreu com uma grande guerra radioativa, e por isso a vida no planeta se tornou insustentável. Assim sendo, as 12 nações se uniram e criaram uma gigantesca estação espacial, a Arca, onde a vida humana poderia sobreviver por gerações até que a Terra se tornasse habitável novamente. Porém, nem mesmo a grande estação espacial projetada para durar milhares de anos estava conseguindo manter todos os seus habitantes, então os comandantes da Arca decidem enviar para o planeta 100 jovens prisioneiros para testarem as condições de sobrevivência na Terra. E é após a chegada desses adolescentes que a história realmente se inicia.

A série mostra um futuro distópico de um mundo destruído e cem jovens prisioneiros livres para fazerem o que quiserem nesse lugar que a princípio parecia estar inabitado por conta dos altos níveis de radiação. Os problemas começam a surgir quando Bellamy decide assumir o lugar de líder do grupo e abandonar as regras que lhe foram impostas. Mas, apesar de Bellamy acreditar nisso e ser por boa parte da primeira temporada o líder de todos, é Clarke a quem esse posto pertence. Ela é a voz da razão em meio ao caos e sempre se põe a frente para resolver os problemas no caminho, principalmente quando a liderança de Bellamy se mostra falha.

Dos 100, nem todos podem se adaptar ao caos que é instaurado quando eles descobrem não estar sozinhos. Sim, eles não estão sozinhos! E esse momento, com certeza, é o ápice.

Os primeiros episódios da série não fazem jus ao que ela vem a se tornar ao longo da 1ª temporada. A cada episódio ela consegue nos surpreender com momentos incríveis e nos presenteia com alguns personagens apaixonantes e outros nem tanto. The 100 nos apresenta uma bela aula de feminismo, com mulheres extremamente fortes as quais tomam a frente para resolver todos os problemas que a princípio parecem não ter solução. Além disso, possui paisagens exuberantes e efeitos visuais que melhoram a cada episódio. Vale destacar também que, quando se trata de sobrevivência, não existem mocinhos ou vilões, apenas pessoas que precisam muitas das vezes cruzar a linha tênue entre o bem e o mal para simplesmente sobreviver um dia de cada vez.


2ª TEMPORADA


Mas a emoção não para por aí: na segunda temporada acontece uma virada na qualidade da série, tanto no enredo quanto nos efeitos especiais. Clarke vai ter todo o protagonismo da primeira temporada, que não deixou de preparar e construir outros personagens para ganhar um maior destaque na segunda. Por exemplo, Octavia e Raven começam a ganhar maior representatividade na série... é uma obra com bastante representatividade feminina.


Na Terra, fica aquela dúvida sobre o que aconteceu e qual o motivo de existirem sobreviventes depois das bombas nucleares. Na verdade, ocorre uma "seleção natural" que teve ajuda de um elemento muito importante na série e por isso algumas pessoas conseguiram sobreviver à radiação. Nos Estados Unidos, formaram-se esses clãs e eles desenvolveram uma nova língua (Trigedasleng). São povos criados a partir da necessidades de sobreviver, que se reconstruíram a partir das ruínas do mundo antes das bombas. O que se sabe é que eles têm leis tão cruéis quanto as da Arca (Estação Espacial), além de serem guerreiros treinados para combates sangrentos e terem os seus próprios mitos e crenças.  

Por muito tempo, esses clãs viveram em guerra, ainda mais por causa da ameaça dos "Homens das Montanhas", as pessoas que vinham de Mount Weather (que vai ficar mais explícito na terceira temporada). Tratam-se de inimigos perigosos que eles nunca conseguiram enfrentar e que os atacavam com armas químicas. Porém, surge uma nova comandante (Chamada de Heda), a Lexa, que mesmo muito nova consegue acabar com a guerra e unir todos os clãs, além de remanejar os esforços para proteger seu povo de Mount Weather. Mas para ser uma Heda, é necessário ter o sangue da noite, que vai permear o motivo dos conflitos na série por um longo tempo.


Alguns do 100 foram capturados por Mount Weather, e Clarke passa a temporada tentando salvar seus amigos dessa ameaça.


Mount Weather: pessoas que sobreviveram em um bunker do governo americano isoladas da radiação e, por isso, não têm resistência ao nível de radiação de fora e possuem o objetivo de encontrar alguma forma para resistir à radiação e finalmente sair do bunker.

De longe, é uma das melhores temporadas e deixa um gostinho de quero mais para a próxima.


City of Lights e A.L.I.E.: No final da 2ª temporada também descobrimos uma inteligência artificial que possa ter a ver com a destruição do mundo e que vai ter um grande plot no decorrer das outras temporadas. 


3ª TEMPORADA


Na terceira temporada a tecnologia será um tema recorrente. Saberemos informação sobre o que causou o apocalipse nuclear, e a ALIE (a inteligência artificial que aparece como um holograma em forma de mulher) vai ser o centro da trama e a grande vilã, já que sua missão é recrutar seguidores para a City of Lights (Cidade da luz).


Ainda por trás da luta contra ALIE, existe o confronto entre os grounders (terrestres) e os skypeople (pessoas do céu), e a trama cresce transformando os personagens em pessoas mais adultas, que passam a tomar decisões difíceis para manter a sua própria sobrevivência.



ALIE é uma inteligência artificial criada por Becca Pramheda, que inclusive escolheu o avatar de ALIE para ser à sua imagem e semelhança. Ela criou a IA com o intuito de que a mesma encontrasse formas de ajudar a humanidade, mas após ler todas as informações possíveis nas redes mundias, a inteligência reage ao contrário do que sua criadora buscava quando a projetou. Para resolver o problema de "pessoas demais", no ano de 2052 ALIE pega todos os códigos de bombas nucleares existentes e faz o lançamento dos mísseis nucleares que fizeram com que a Terra sofresse um apocalipse nuclear, dizimando a maioria dos habitantes do planeta.



O Otageek é um portal de jornalismo cultural independente que produz conteúdo sobre cultura pop com uma abordagem mais próxima do Jornalismo e distante dos clickbaits e fake news.

© 2020 - Otageek BR . All Rights Reserved.