• Victor Franco

Review | Phasmophobia, um simulador de caça-fantasmas


Estamos no mês de outubro e, mesmo que não seja tão comemorado por aqui quanto nos Estados Unidos, o Halloween ainda assim atrai bastante atenção e diversas mídias fazem eventos para celebrar o dia 31 de outubro.


Como também não poderia passar desapercebido, um jogo vem chamando a atenção nesse Halloween. Ele se chama Phasmophobia, livremente traduzido como "Medo de Fantasmas". Basicamente, se trata de um simulador de caça-fantasmas, mas não aquele que é acompanhado pelo geleia e que fez sucesso nos anos 90 e 2000, mas sim como o casal Warren fazia.



O jogo, que ainda está em early access na steam, é feito para 1-4 jogadores coop. Eles entram na pele de caçadores de fantasmas reais para realizar missões baseadas em entrar em um local assombrado e descobrir que tipo de entidade habita aquele lugar. A partir daí, conseguir pistas e evidências e, principalmente, saírem vivos.


Atualmente o jogo está relativamente cru, mas conta com aproximadamente 5 missões, fora as variações de alguns mapas, principalmente a casa de campo e a casa da cidade. O jogo tem ainda mapas maiores, como a escola abandonada e o manicômio, sendo esse último o maior mapa disponível por enquanto. Cada mapa é decorado com mobília e objetos que fazem sentido para cada quarto e cada mapa. As casas, por exemplo, tem telefones, livros, brinquedos e etc...e esses objetos podem ser usados pelas entidades pra assustar os jogadores.



Gráficos


Os gráficos são convincentes e o jogo não possui música, fazendo com que o nível de imersão seja incrível. A câmera é em primeira pessoa e apenas as ferramentas são visualizadas. Entretanto, as animações do jogo ainda podem ser melhoradas e, principalmente, polidas para que a experiência seja mais imersiva ainda.


Os gráficos também ajudam os fantasmas que, à distância, parecem mais terríveis do que realmente são. Mas, verdade seja dita, você não irá querer encarar um fantasma peito a peito. Tocando nesse assunto...


As entidades não podem ser definitivamente derrotadas de nenhuma forma. Elas podem ser imobilizadas ou expulsas temporariamente de um quarto ou local, utilizando itens como crucifixo, sal e incenso. Mas, atenção: esses itens devem ser usados com certa antecedência, pois quando o fantasma parte para agressão ele mata um dos sobreviventes imediatamente, caso chegue perto o suficiente.


Para aumentar a pressão, os personagens dos jogadores não correm, no máximo andam ligeiramente mais rápido caso você mantenha o botão pressionado. Mas calma, nem tudo está perdido. Os fantasmas são cruéis mas não são oniscientes ou onipresentes. Existem armários espalhados pelos mapas que podem ser usados para se esconder da entidade que te caça. Porém, não se engane, manter comunicação ou iluminação irá fazer com que o fantasma se atente ao armário e pegue o mortal fujão.



Ferramentas


Aproveitando a deixa da comunicação, o jogo conta com reconhecimento de fala e ferramentas para serem usadas com microfone, ou seja, você pode se comunicar com seus amigos e/ou com o fantasma. Isso mesmo, amiguinho (a), quando você fala com seus companheiros e a entidade estiver por perto, ela poderá te ouvir.


Entretanto, a parte mais divertida é usar o rádio. Ele te permite se comunicar diretamente com a entidade próxima e ela pode sim te responder e as respostas não são automáticas. Elas são respostas plausíveis para sua pergunta ou pedido. Ou seja, se o fantasma estiver incomodado com a sua presença e você pedir para ele se mostrar, você pode acabar não tendo um resultado muito bom pro seu lado.


Já que estamos no assunto das ferramentas, o jogo conta com uma variedade decente de ferramentas para localização e aquisição de informação. Todo fantasma deixa a região onde ele está presente mais fria, então temos o termômetro para auxiliar a localizar os mortos; alguns tantos fantasmas deixam resíduos elétricos no ambiente e, então, temos EMP para localizar e medir esses resíduos.


Outros tantos, ainda, deixam impressões digitais para serem achadas com lanternas UV, ou preferem escrever em cadernos que os caçadores colocam para eles. Alguns respondem no rádio e outros preferem tirar fotos para o Instagram. Porém, não se deixe enganar, todos eles querem te ver morto e vão trabalhar para isso.



Cuidado com sua sanidade


Mas como desgraça pouca é bobagem, além dos fantasmas quererem te matar, você ainda tem que tomar cuidado com sua sanidade. Quanto menor ela for, mais fácil será que você seja o alvo do espírito raivoso ou que eventos fantasmagóricos aconteçam com você. Sua sanidade vai se deteriorando aos poucos na escuridão e, conforme vai testemunhando eventos paranormais, ela vai decaindo mais rápido. Fora que alguns fantasmas possuem "habilidades" para drena-la ainda mais rápido, seja através de ilusões ou tabuleiro ouija.


O jogo conta com 3 níveis de dificuldade: Amador, Intermediário e Profissional. A recompensa aumenta conforme o grau de dificuldade, entretanto a entidade fica mais poderosa e hostil nas dificuldades maiores. Na amadora, você tem 5 minutos pra preparar suas câmeras, encontrar pistas e localizar o fantasma. Na intermediária, o time tem 2 minutos pra preparar tudo e na profissional, o tempo do time começa zerado.


Esse timer define quanto tempo resta para o time preparar as coisas e explorar antes que a entidade comece a realmente se manifestar e caçar os jogadores. Podem acontecer manifestações enquanto esse tempo ainda está ativo, mas o espírito não irá matar ninguém. Quando o cronômetro zerar, aí sim os eventos de caçada-fantasma começam e aleatoriamente a entidade pode se manifestar e caçar ativamente os jogadores para matá-los.


Leia também:


Os fantasmas


Agora, uma rápida passada pelos tão terríveis fantasmas. O jogo conta com uma boa variedade de fantasmas, cada um com um ponto único para se destacar, seja um poder ou uma dificuldade que impõe ao time de caçadores. Também possuem fraquezas únicas, algumas sendo fácil de atingir e outras nem tanto.


Cada um possui 3 indícios que devem ser registrados pelos caçadores para que consigam identificar o tipo correto de assombração e, dessa forma, possam obter mais dinheiro e comprar equipamentos melhores e mais úteis para ajudar na caçada. Falando nisso, a morte de um membro do time faz com que todos os itens que ele tenha levado para a missão sejam perdidos e ele ainda pode ser um fantasma travesso e pregar peças nos amiguinhos.



Verdade seja dita, num mundo cada vez mais conectado e com jogos cada vez mais multiplayer, o gênero de terror foi perdendo seu brilho. É inegável que jogos como Outlast ou Amnesia fizeram sua base de fãs e mudaram a forma com que o horror é tratado nos jogos, mas desde a época dos primeiros Resident Evil ou Silent Hill, nenhum jogo de terror conseguiu realmente juntar o multiplayer e o horror de uma forma digna.


Eis que Phasmaphobia vem como um nome que promete trazer esse respiro para o gênero e colocar o horror como algo que pode ser sim compartilhado.



O jogo está disponível na Steam para PC e VR e você pode acessar o site oficial da Kinectic Games aqui.



Neste mês de Halloween, ajude o Otageek a continuar trazendo conteúdo de credibilidade e ainda aproveite para mergulhar no mundo sobrenatural do horror com os livros em oferta:



Se você gostou do nosso conteúdo, te convido a ler nossos outros textos ou ouvir o nosso podcast. Nesta semana comentamos sobre as músicas que marcaram o cinema.


E se você gosta do nosso conteúdo, não deixe de seguir o Otageek no Twitter, Facebook e Instagram!

otageek amazon prime .jpg