Review | I May Destroy You - Episódio 2 (Alguém Está Mentindo)


I May Destroy You, nova série da Michaela Coel, estreou no HBO MAX no dia 15 de Junho. A obra já chegou chamando a atenção, primeiramente por ser mais uma produção de Coel, que é poeta, atriz, cantora, compositora, roteirista e produtora, além de ter sido premiada com dois Bafta, de Melhor Performance Feminina em Comédia e Talento Revelação, todos pela série Chewing Gum. O segundo ponto que chama a atenção para a série é a sua abordagem a temas sensíveis, como abuso sexual e a visão da vítima dentro da narrativa.


Antes de prosseguir com a leitura, leia as nossas primeiras impressões do primeiro episódio (sem spoilers):


Review | I May Destroy You - Primeiras Impressões

Atenção! O review abaixo será com spoilers!


O primeiro episódio, intitulado "Olhos, ollhos, olhos", termina com a nossa protagonista indo em direção à porta e, ao tocar na maçaneta, ela tem um flash de memória de um homem forçando seu corpo violentamente contra alguém e obstruindo a passagem da porta. Arabella estranha a situação e o episódio acaba.



O segundo episódio (Alguém está mentindo) começa com Arabella e sua amiga Terry almoçando juntas e, durante suas conversas, a figura do homem volta a aparecer na mente de Arabella. Desta vez, a memória traz mais detalhes a respeito do indivíduo, como ângulo, formato do nariz e respiração ofegante.


Terry está ensaiando seu roteiro para um comercial e percebe que sua amiga está com um corte na cabeça e o celular com o visor quebrado. Porém, ao questionar Arabella sobre a origem do hematoma e do acidente com o celular, a personagem não sabe responder e revela para a amiga que não se recorda de como a noite anterior terminou.


Terry então aconselha que ela ligue para Simon, amigo com quem saiu naquela noite. Num primeiro momento ele não atende, então Terry liga do seu próprio celular. Ao atender, ele é imediatamente questionado sobre como a noite anterior terminou, mas diz que deixou Arabella no seu trabalho após a mesma sofrer um acidente e bater a cabeça. Nesse momento ela diz que estava sangrando, porém, ao invés de perguntar como sua amiga estava, ele pergunta onde estava sangrando.



Nessa cena, nós como telespectadores já digerimos a tragédia consumada, mas nossa protagonista ainda está no meio da jornada de descobrimento. Após 35 horas acordada, Arabella decide finalmente tentar dormir, quando então aparece outro flash de memória, dessa vez de um caixa eletrônico. Enquanto isso, Terry vai para sua audição e revela na entrevista, ao perguntarem qual a situação mais libertadora já vivida por ela, que fez sexo a 3, rendendo boas risadas.


Momentos depois, nossa protagonista decide ir até a casa de seu amigo Simon para questionar o motivo de ter passado em um caixa eletrônico longe do bar onde estavam. Ele fala que pediu um Uber para ela e mostra seu celular, cuja tela é fotografada pela mesma na imagem das rotas feitas naquele dia. Com a imagem em mãos, Arabella agora segue pelo caminho e para na casa da possível amante de Simon, ou interesse romântico da sua esposa (ainda não sabemos ao certo).


No local, a personagem diz que não se lembra de como a noite terminou, e teme que ela ou outra tenha sido violentada. Porém, a amante (cujo nome não me recordo) surta e manda Arabella ir embora, mas antes confirma que também suspeita ter sido drogada, pois também não se recorda da noite anterior após o bar.


Arabella decide, assim, que é hora de ir até a polícia abrir um B.O. e seu amigo Kwame (Paapa Essiedu), amigo na vida real de Coel, aqui na ficção faz o mesmo papel, pois foi ele quem a acompanhou durante o exame de corpo de delito.



As cenas finais do episódio são muito emocionantes, pois o véu entre ficção e realidade está baixo e podemos ver a dedicação e força que Coel teve para dar vida à sua dor através de Arabella. Todo o elenco está muito bem envolvido com a produção e entrega tudo de si em momentos que exigem certa sinergia entre os atores. Apesar da tragédia que aconteceu na vida de Coel e Arabella, a todo momento ela teve o apoio de seus amigos, que estiveram ao seu lado até ela finalmente conseguir dormir.


A série atualmente se encontra em exibição no serviço HBO MAX e contará com 12 episódios. À medida que os episódios forem liberados, realizaremos a crítica individual de cada um (com spoilers).

Leia também:
A presença do negro em narrativas audiovisuais hollywoodianas e brasileiras

Review | I May Destroy You - Primeiras Impressões



Quer saber mais sobre o universo GEEK? Então siga o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.

















O Otageek é um portal de jornalismo cultural independente que produz conteúdo sobre cultura pop com uma abordagem mais próxima do Jornalismo e distante dos clickbaits, fake news e achismo.

© 2020 - Otageek BR . All Rights Reserved.