• Raissa Sara

Resenha | A era dos mortos (Parte 1) - Livro 5 (As crônicas dos mortos)


Muitos anos se passaram desde que Uriel, um tirano sem escrúpulos e traidor, assumiu o controle da maior colônia de sobreviventes do apocalipse zumbi na Terra, Ilhabela. No ano de 2087 d. Z. (depois dos zumbis), Ivan, Estela e quase todos os seus aliados estão mortos.


Do grupo original, apenas Isabel, Mariana e alguns poucos conseguiram escapar de Ilhabela quando Uriel executou o seu plano para tomar o poder. A cada dia, a fome de poder desse homem e de seu filho, Otávio, aumenta, tornando a vida dos sobreviventes um inferno ditatorial.


Atenção! Essa é a resenha do quinto livro da série. Para evitar spoiler, leias as outras resenhas antes de continuar.

Leia também:


Com Ivan e todos os fundadores de Ilhabela mortos ou fora do seu caminho, Uriel tem enfim o seu tão sonhado poder. Porém, ele teve de ser conquistado com um política popular a qual foi por anos cultivada, pois Ivan era um homem que presava pela democracia e se preocupava com o bem-estar de todos os sobreviventes. Ele era um ícone para aqueles que ali viviam, até que ninguém percebeu o golpe fatal e todos caíram em uma ditadura sanguinária.



O trabalho escravo se tornou uma regra e a cobrança de mais e mais tributos, aliada ao poder centralizado em Uriel, mantém todos em constante alerta, já que novas eleições eram impossíveis e Uriel perseguia e matava sem piedade todos aqueles que eram contra o seu governo.


Otávio, que passou anos realizando pesquisas médicas, finalmente consegue um meio de controlar os bersekers, os zumbis monstruosos, transformando-os em cães de caça. É a sua forma de assegurar a permanência no comando de Ilhabela, mas também de destruir qualquer intenção de resistência tanto por parte dos moradores da ilha quanto das colônias de sobreviventes com as quais Ivan manteve parceria e proteção ao longo dos anos.


Isabel, a última sobrevivente dos fundadores de Ilhabela, tornou-se uma idosa que está sendo caçada pelos novos líderes, seja viva ou morta-viva. Eles conhecem o seu poder e sabem o quanto eles podem ser destrutivos para esses ditadores que a chamam de bruxa. Todos temem que ela se torne tão poderosa quanto sua irmã e ninguém quer lidar com um inimigo desse nível novamente.


Como Isabel previu, o reinado de Uriel estava sendo terrível, mas o de Otávio seria muito pior. Ele é um homem doente, um psicopata moldado pelas loucuras do pai, que realiza experimentos em zumbis para torná-los armas dispostas a trabalhar ao seu favor. O país é liderado por um tirano louco que irá fazer qualquer coisa para realizar seus desejos. Portanto, embora exista a ameaça zumbi, o principal inimigo torna-se o próprio homem.


Nesse livro, também vamos conhecer mais personagens muito importantes para a história, pois desde que Ivan morreu, Isabel está à procura de duas crianças que podem finalmente salvá-los do caos que se instalou na Terra, comandado pelas mãos de Otávio.


É fato ela ser uma personagem muito importante desde o momento em que entrou na história: seus poderes vão além do que você possa imaginar e ela conta com uma ajuda muito especial, então dá pra matar aquela saudade louca de algumas pessoas às quais nos apegamos tanto no decorrer da série.


“Fernando era um garoto magro, porém muito forte para sua idade. Mas, acima de tudo, carregava no coração um ímpeto para lutar que poucos homens adultos conheciam. Uma disposição incrível para a guerra muito mais antiga que aqueles seres que perseguiam Sarah.”

Quando Sarah nasceu, Isabel previu que ela teria um papel determinante na batalha para salvar os seres humanos das mãos de Otávio, e também que um jovem do sexo masculino nasceria e seria o companheiro da menina nessa jornada.


Tendo em vista que o cerco está apertando, se ninguém deter Otávio o mundo como conhecemos estará perdido de uma vez. Então Sílvio e Nívea tornam-se guardiões das duas crianças e começam a treiná-las desde o início: Sarah e Fernando demonstraram habilidades naturais, que normalmente são observadas em soldados treinados.


Todos ficavam encabulados ao ver que Sarah, uma garota de dez anos, sabia atirar a metros de distância sem errar uma única vez, enquanto Fernando era um líder estrategista nato e um bom lutador. Com apenas dez anos, Fernando e Sarah destoam dos demais e têm o respeito da figura de Isabel.


“Fernando era muito parecido com seu pai. Não só fisicamente, mas especialmente no temperamento explosivo, impaciente, determinado ao extremo, mas também carinhoso e caloroso com aqueles que lhe davam a chance de se abrir.”

Com uma grande reviravolta, "A Era dos Mortos" traz uma nova etapa desse mundo apocalíptico. Décadas se passaram desde que os zumbis apareceram e a humanidade está perdendo cada vez mais seus traços de humanidade. Algo precisa ser feito antes que seja tarde demais.


Enquanto isso, o planeta ainda está sob constante ameaça dos mortos-vivos, que ainda vagueiam por todos os cantos em busca de alimento. A última batalha está prestes a acontecer e teremos o desfecho final com o livro "A era dos mortos - parte II.


Sinopse: E OS HUMANOS DESCOBREM QUE A PIOR DESGRAÇA NÃO SÃO OS ZUMBIS... Vários anos se passaram desde que Uriel, agindo como um tirano, assumiu o controle da maior colônia de sobreviventes do apocalipse zumbi na Terra. Ivan, Estela e quase todos os seus aliados estão mortos. Do grupo original, apenas Isabel, Mariana e alguns poucos conseguiram escapar de Ilhabela. E a cada dia, a fome de poder de Uriel e de seu filho, Otávio, aumenta, tornando a vida dos sobreviventes ainda mais penosa. O trabalho escravo se torna a regra, a cobrança de mais e mais tributos e a imprevisibilidade do poder central mantêm todos em constante alerta. Otávio, que passou anos realizando pesquisas médicas, finalmente consegue um meio de controlar os bersekers, os zumbis monstruosos, transformando-os em cães de caça. É a sua forma de assegurar a permanência no comando da comunidade, mas também de destruir, pelo medo, qualquer intenção de resistência. Então, ele produz algo ainda pior, uma criatura feroz e diabólica com o poder de destruição em massa. Há muito em jogo. O governo central ainda considera Isabel uma grande ameaça, seja viva ou morta-viva, o que poderia transformá-la numa nova Senhora dos Mortos. Mas duas crianças chamam a atenção de Isabel, que decide prepará-las para batalhas ainda mais sangrentas. Serão elas a esperança para o fim daquela era de medo e destruição? A derradeira batalha está para começar, mas os inimigos, humanos e zumbis, também têm suas surpresas. Sejam bem-vindos a uma nova era de horror e violência. Esta é... a Era dos Mortos.


Para comprar o livro A era dos mortos: Parte I, clique no anúncio abaixo e compre através de nossos links, assim você nos apoia a continuar produzindo Jornalismo Cultural de credibilidade!



Se você gostou do nosso conteúdo, te convido a ler nossos outros textos ou ouvir o nosso podcast. Nesta semana comentamos sobre: OTGCAST #38 | Músicas que nos marcaram nos cinemas colab. HOP TELEVISION.


Apoie o Jornalismo Cultural independente seguindo o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.

otageek amazon prime .jpg