Quando mutantes ameaçam a liberdade de expressão, não podemos aceitar ou normalizar #FreeDox

Atualizado: Set 26


Os X-MEN vivem atualmente sua melhor fase nos quadrinhos, um verdadeiro mundo de possibilidades…mas eu lhes pergunto: onde tem mutante, tem sossego?


Se depender dos Novos Mutantes, não!

Jonathan Hickman foi o responsável pelo pontapé inicial dessa nova fase dos personagens, com as séries Poderes do X e Dinastia do X (que inclusive estão sendo publicadas pela Panini no Brasil). Nessa nova fase, os X-MEN criaram sua própria nação mutante, onde recebem e acolhem mutantes de todo o mundo através de portais de teletransporte espalhados em pontos estratégicos de países aliados, que aceitam a soberania de Kakroa como uma nação mutante.


Após essas duas histórias, as quais abriram caminho para esse novo mundo, chegamos à fase atual dos títulos mutantes, intitulada Alvorecer do X. Aqui diversos títulos exploram cada canto da mitologia dos mutantes de forma que as tramas se complementam, mas sem que você tenha que ler todos os títulos para acompanhar uma ou outra história as quais possam lhe agradar.



No meio desses títulos temos Novos Mutantes, que consegue agradar tanto aos leitores de longa data da equipe quanto aos que estão se aventurando pela primeira vez nas histórias do time. Tem trama espacial com o Império Shi’ar, resgate de crianças mutantes brasileiras no coração da Amazônia e toda a bizarrice e horror que envolve a equipe.


um reflexo da sociedade


Grande parte das histórias em quadrinhos foi e é um reflexo social da humanidade, servindo como ferramenta política de suas respectivas épocas, e X-MEN nunca fez questão de ocultar isso em suas HQs. Nessa nova fase dos mutantes, as relações diplomáticas e políticas dos países são bem próximas da nossa realidade.


A nação de Krakoa oferece medicamentos que podem curar algumas doenças humanas e prolongar a vida de um humano em até 5 anos para os países que aceitam sua soberania como nação e permitem a instalação dos portais para trânsito em seu território, visando o resgate de novos mutantes que surgem. E é claro que alguns países, incluindo o Brasil, se recusaram a reconhecer a soberania de Krakoa na ONU, mas isso é assunto para outro texto. Hoje quero falar da nação de Carnelia.



Dentro dos países que não aceitaram o acordo de Krakoa está a pequena República de Carnelia. Trata-se de uma nação fictícia localizada nas Montanhas Cárpatos, a qual foi fundada como um Estado nos anos de 1920. Originalmente um braço da União Soviética,

Carnelia se tornou uma nação independente e democrática após a dissolução da

URSS em 1991.


Embora Carnelia tenha se aproveitado das relações pacíficas com o mundo ocidental,

um recente ataque contra seu parlamento, que deixou 129 representantes da casa e

assessores mortos, causou sua retirada do cenário mundial.


O que as autoridades de Carnelia não esperavam era uma adolescente mutante despertar seus poderes de criar um universo ao seu redor, engolindo todos próximos em uma rede de pesadelos, o que obrigou os Novos Mutantes a agirem e tentarem salvar a jovem de si mesma e dos humanos.

A "invasão" dos mutantes ao país foi uma afronta ao primeiro ministro de Carnelia, Ivan Prokopovych, que utilizou da mídia local, alinhando-se a um site que instiga ódio a mutantes, para afirmar que todo o incidente era uma tentativa de Krakoa de os obrigar a assinar o acordo diplomático.


cadê a liberdade de expressão?


Não irei aprofundar ou dar muitos spoilers que possam prejudicar a leitura, caso você decida ler o título atual dos Novos Mutantes. Mas a partir da sexta edição, entre as páginas das histórias, passamos a ter acesso às manchetes do Dox, o site anti-mutante que foi apoiado pelo primeiro ministro de Carnelia.



Além de apoiar redes de fake news contra mutantes, o site opera como um fórum no qual as pessoas se escondem por trás de perfis fakes para propagarem discurso de ódio e promoverem barbárie. Ele chega a vazar endereços e nomes de mutantes (Sarah Winter fazendo escola) para todos na internet em listas, motivando assim perseguições aos mesmos.


Além de dados pessoais, o site também publica relatórios com horários, identidade e localizações dos portais utilizados pelos mutantes. Claro que tais conteúdos rendiam mais perseguição e muitas mortes de mutantes inocentes.


Alguns mutantes vítimas da rede de ódio anti-mutante

Porém, com a ajuda da mutante tecnopata Trinária, Magia descobre a localização da redação do site e parte junto de Miragem e Glob para acabar com a bagunça. Chegando ao local, eles expõem os crimes cometidos pelos humanos e presenciamos alguns dos melhores quadros de diálogos da HQ até o momento.



Mesmo vivendo mais de 20 anos em aldeia global, algumas pessoas não entendem a responsabilidade e o poder que a informação pode ter. Estufam o peito para dizer que o que estão fazendo é liberdade de expressão, quando na verdade estão promovendo atividades prejudiciais para pessoas tanto no mundo online quanto offline.


Quantos casos semelhantes não presenciamos no nosso cotidiano?

De acordo com Leonardo Goldberg, doutor em psicologia pela Universidade de São Paulo (USP), a prática do ódio no ambiente online é só uma atualização digital de algo que já acontece fora desse ambiente, onde há uma reação popular desproporcional. Muitas vezes as pessoas não têm noção de o quanto isso é nocivo para as vítimas.


Miragem jantando o editor do site!

Segundo ele, o que motiva esse tipo de atitude é a personificação de algum problema social. Esse fenômeno é marcado pelo princípio de que alguém pode ser o bode expiatório daquilo que a sociedade considera errado, inimigo!


Ou, nos quadrinhos da Marvel... mutante?


TUDO SE RESOLVE NA BASE DO Diálogo


Ao final da trama, Miragem instala um software no site do Dox, presente da Trinária, que expõe os dados pessoais da redação a cada conteúdo anti-mutante veiculado.


Glob e seu "diálogo"

O fundador do site não se sente intimidado com seus dados podendo ser vazados, então ameaça os mutantes mais uma vez. É então que Glob entra com o "diálogo" e prova mais uma vez ser um dos personagens mais legais da Marvel. Impossível você não ficar com vontade de ser amigo dele, sério. Ao final da HQ, entendemos que as vezes é preciso violência para combater violência, quando outros meios não são efetivos.


Mesmo caindo no paradoxo da tolerância, na HQ vemos alegoricamente que devemos reivindicar, em nome da tolerância, o direito de não tolerar os intolerantes, suprimindo-os, se necessário até pela força.



E você, caro leitor, está acompanhando a nova fase dos mutantes nos quadrinhos? Conta para gente aí nos comentários o que está achando do renascimento dos mutantes após anos de boicote nas HQs!


Poderes do X e Dinastia do X são ótimos pontos de partida para novos leitores, sendo publicados no Brasil apenas como "X-MEN 1, 2, 3 e 4". Porém, não se engane caso seja um fã de longa data da equipe. Para muitos fãs, essa nova fase é tão relevante quanto as maiores revoluções que aconteceram nos títulos mutantes, como quando Chris Claremont assumiu nos anos 70!

Caso tenha interesse em adquirir as versões físicas das histórias, compre através de nossos links e assim você apoia o Jornalismo Cultural de credibilidade!













Conteúdo recomendado:


Se você gostou do nosso conteúdo, te convido a ler nossos outros textos ou ouvir o nosso podcast. Nesta semana comentamos sobre os indicados ao Emmy 2020.


"Eu, Tempestade, Rainha dos Ventos, ordeno que você siga o Otageek no Twitter, Facebook e Instagram!"



otageek amazon prime .jpg