• Bruno Silverio

O eSport no Brasil

Atualizado: Out 3


eSport ainda é algo novo no Brasil. Porém, a passos rápidos e certeiros está crescendo em números e em investimento de patrocinadores de grande escala. Empresas como a Coca-Cola, BMW, o Banco do Brasil e até a Unilever deram as caras no eSport, com a OMO patrocinando a INTZ. Nisso tudo, o jogo movimenta $ 1 bilhão de dólares por ano, com o Brasil estando no top 3 dos maiores públicos no mundo todo.



No ano de 2019, o mundial de freefire teve um feito absurdo no Youtube Brasil, batendo o recorde de lives, com o jogo dominando o top 3. O mundial é a cabeça da lista, com um pico de 1.2 milhões de espectadores simultâneos, campeonato esse que nomeou o Corinthians como campeão mundial e o jovem Nobru como MVP.


Mas os feitos no Youtube não param aí. No mesmo ano, a organização LOUD foi eleita como o canal que mais cresceu em 2019, ganhando 3.4 milhões de novos inscritos, além de dois outros membros aparecerem na lista: Loud Babi, com 1.7 milhões e Loud Coringa, com 1.8 milhões de inscritos.



Para o ano de 2020, o eSport brasileiro foi conturbado, mas ao mesmo tempo foi grande. Com as partidas acontecendo online, muitos torneios cresceram consideravelmente, já que diferente do esporte tradicional, o eletrônico é facilmente adaptável. A única que conseguiu uma final presencial, mas sem público, foi a Riot com a final do Cblol, que alcançou um pico de audiência recorde com 396 mil espectadores simultâneos.


Leia também:



Um dos times que mais se destaca no cenário brasileiro de eSports é a Furia. Em agosto de 2017 começaram com foco no CSGO, com uma Game House em Uberlândia, Minas Gerais, cidade do CEO Jaime Pádua. Desde então, o time vem expandindo seu ecossistema nos mais diversos jogos, desde dota à RainbowSix, prezando pelo trabalho a longo prazo, onde o objetivo é sempre melhorar.


O time principal hoje, que joga nos Estados Unidos, é considerado o melhor time de CSGO nas Américas e vem evoluindo em todos os outros jogos que estão presentes, além de projetos extras, como o Six, um projeto com criadores de conteúdo da Furia.



Se você gostou do nosso conteúdo, te convido a ler nossos outros textos ou ouvir o nosso podcast. Nesta semana comentamos sobre a série Agents of S.H.I.E.L.D.


Caso tenha interesse em adquirir as versões físicas das histórias, compre através de nossos links e assim você apoia o Jornalismo Cultural de credibilidade!
















Apoie o Jornalismo Cultural seguindo o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.

otageek amazon prime .jpg