• Dan Profirio

Mulan abre o fim de semana com números desanimadores nas bilheterias chinesas


Apesar de seus esforços para atrair o público chinês, Mulan sofreu um decepcionante fim de semana de abertura no território.



Após a estreia na Sexta-feira, 11 de setembro a US$ 6,23 milhões na China, o remake live-action do filme de 1998 encerrou o fim de semana com um total de US$ 23,2 milhões. De acordo com a Variety, isso coloca sua arrecadação global em US$ 37,6 milhões após a abertura no último fim de semana com US$ 5,9 milhões da Croácia, República Tcheca, Oriente Médio, Eslováquia, Turquia, Malásia, Cingapura, Taiwan e Tailândia. Isso não inclui o dinheiro ganho através do Disney+, onde está disponível nos EUA, Canadá e Europa por US$ 30.


O que se esperava ser um sucesso certo para a Disney - com potencial para atingir US$ 1 bilhão em todo o mundo - se transformou em um desastre de RP para o estúdio. Além das ansiedades gerais em torno da COVID-19 e da presença nos cinemas, o filme também ficou sob fogo por agradecer ao Partido Comunista da China (CPC), especificamente ao Departamento de Publicidade do Comitê da Região Autônoma Uigure do CPC Xinjiang, em seus créditos.


Muitos governos, organizações internacionais e organizações sem fins lucrativos reconhecem que a população uigure de Xinjiang, ou Turquestão Oriental, é alvo de perseguição e opressão generalizada sob o governo chinês comandado pelo Partido Comunista. E uma parte significativa de Mulan foi filmada nessa região.



Em resposta à controvérsia, o governo chinês ordenou que os meios de comunicação se abstivessem de cobrir o filme. Do lado americano, o senador republicano Josh Hawley (MO) pediu que a Disney retirasse Mulan do Disney+ e doasse lucros para organizações dedicadas a ajudar a população uigure. A Comissão Executiva do Congresso sobre a China (CECC) também enviou uma carta ao CEO da Disney, Robert Chapek, pedindo-lhe que respondesse a uma série de perguntas relacionadas à produção do filme.


Veja mais sobre Mulan no Otageek:
Disney é massacrada na web por ter filmado 'Mulan' na província chinesa de Xinjiang
Mulan: referências da animação no live-action
Crítica | Mulan
Mulan e os protestos de Hong Kong | Boicote ao filme aumenta na Coreia do Sul

Dirigido por Niki Caro, com roteiro de Rick Jaffa, Amanda Silver, Lauren Hynek e Elizabeth Martin, Mulan estava programado para estrear em 27 de Março deste ano após sua estreia mundial em 9 de Março em Hollywood. No entanto, a pandemia do coronavírus esmagou esses planos, adiando o filme para Julho e depois Agosto antes de finalmente se estabelecer em um lançamento em Setembro no Disney+. O filme será exibido nos cinemas em áreas onde o Disney+ não está disponível.



Fonte: CBR.




Quer apoiar o Jornalismo Cultural? Então siga o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.

O Otageek é um portal de jornalismo cultural independente que produz conteúdo sobre cultura pop com uma abordagem mais próxima do Jornalismo e distante dos clickbaits e fake news.

© 2020 - Otageek BR . All Rights Reserved.