• Vitor Guimarães

Mas, afinal, o que é melhor: D&D ou Pathfinder?


Muito se discute sobre o melhor sistema d20 de fantasia medieval dos gringos


Todos que já jogaram RPG de mesa em algum momento acabaram se pegando no seguinte pensamento: é melhor jogar Pathfinder ou D&D? Baseado nos meus cinco anos de experiência em RPGs de mesa, vou usar desse conhecimento para tentar responder essa pergunta.



Começando pelo D&D, formalmente chamado de Dungeons & Dragons, esse é o primeiro sistema de RPG que se tem notícia. Foi criado originalmente em 1971 com o nome de The Fantasy Game, sendo renomeado para Dungeons & Dragons três anos depois.


DnD, D&D ou DeD está hoje em sua 5ª edição, ou seja, muitas mudanças já foram feitas dentro do próprio sistema. Isso acaba me deixando um pouco incomodado, especificamente em relação às opções de criação de personagem, as quais entrarei em mais detalhes a seguir.



Diferentemente do Pathfinder, temos em D&D uma escolha limitada de raças e classes de personagem - o que, de certa forma, acaba te dando trabalho - composta de 9 raças e 12 classes, sendo possível a mescla de duas ou mais. E é justamente isso o que me causa o incômodo.


Por outro lado, há um sistema mais "family friendly" voltado para facilitar a vida dos novatos e geralmente a porta de entrada para novos jogadores. Foi assim que comecei a jogar. A primeira mesa onde joguei era uma de Dungeons & Dragons modificada, com uma pegada de ficção inspirada em Mass Effect e Destiny.



Falando agora rapidamente sobre Pathfinder, esse por sua vez é um sistema mais recente, distribuído em 2009 pela Paizo e publicado na Wizard of the Coast. Originalmente ele é compatível com o D&D 3,5 e 3,75.



Já vou colocar o primeiro ponto que acho mais legal sobre o sistema: a variação e a escolha de criação de personagens. Uma grande quantidade de raças e classes, sem contar os arquétipos, que são as variações de uma classe específica podendo contar quase como uma classe nova.


Agora o ponto negativo do sistema envolve algumas regras de acerto, isto é, toque e pego desprevenido. Geralmente você não consegue aumentar esses status e às vezes parece que eles atrasam seus personagens.



Poderia passar horas falando dos pormenores dos sistemas, em questão prática e mecânica, além de como envolve o equilíbrio de classes e raças, mas isso perderia um pouco da graça. Então, já vou direto para a conclusão: não há um sistema melhor, depende do que você quer jogar e quanto quer jogar. Eu admito que estava um pouco cansado de Dungeons & Dragons então arrisquei com Pathfinder e gostei da experiência. Tentem ir atrás e jogar os dois sistemas, vale a pena!


Conteúdo recomendado:


Clique aqui e compre através de nossos links, assim você nos apoia a continuar produzindo Jornalismo Cultural de credibilidade!













Se você gostou do nosso conteúdo, te convido a ler nossos outros textos ou ouvir o nosso podcast.



Disposto a se aventurar? Então saque seu D20 e apoie o Jornalismo Cultural independente seguindo o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.
otageek amazon prime .jpg