• Vitor Guimarães

Lista de melhores MMO’s para jogar durante a quarentena


"AVISO! A LISTA CONTÉM COMPONENTES ALTAMENTE VICIANTES."


Nesse período de quarentena, é sempre bom se manter ocupado e distraído das coisas que tem acontecido atualmente. E como não sairemos de casa tão cedo, na lista a seguir passarei alguns MMOSRPGS que são extremamente bem jogados e constituem ótimos jogos para passar o tempo.



Estará em ordem de lista, mas não de qual é o melhor e qual é o “pior”. Nessa listagem, só tome cuidado, pois esses jogos são altamente viciantes. E todos são grátis (com a opção de pagar caso queira)!


1º - Star Wars: The Old Republic



Há muito tempo, em uma galáxia muito muito distante...”. Pra quem sempre quis viver suas próprias aventuras dentro do grande universo de Star Wars, eu tenho uma boa e uma má notícia. A boa é que essa aventura é possível, e a má é que ela se passa milênios antes da história vista nos filmes.


O jogo foi lançado em Dezembro de 2011, sendo composto por 8 classes com duas variações entre elas: república ou império. Uma é o oposto da outra, como por exemplo o Smugler (contrabandista) e o Imperial Agent (Agente imperial).



A história se passa no universo ficcional de Star Wars logo após o implantação de uma paz frágil entre o ressurgimento do Império Sith e a República Galáctica. Isso acontece 300 anos após os eventos do jogo Star Wars: Knights of the Old Republic e mais de 3.500 anos antes dos eventos dos filmes de Star Wars.


A derrota dos Jedi foi responsável pelo sucesso dos Sith durante a devastadora Grande Guerra Galáctica (que levou ao Tratado de Coruscant antes da Guerra Fria). Eles, assim, optaram por mudar de Coruscant para Tython, onde a Ordem Jedi inicialmente tinha sido fundada, procurando orientação através da força.


Os Sith tomaram então o controle de Korriban, onde foi re-estabelecida uma Academia Sith. O jogo começa onde novos conflitos surgem...



2º - Guild wars 2



Em um mundo de alta fantasia - no jeito mais clássico da palavra - entre em Tyria e explore esse local enquanto você caça um dragão ancião lovecraftiano, que fez desse continente o seu playground particular.


Embora tenha um enredo complicado, sua jogabilidade é simples, pois ele possui uma pegada bem mais “Softplay” e um estilo casual. O mais divertido é explorar o mapa do mundo, que é gigantesco. Além disso, você pode fazer uma combinação entre as raças Humano, Asura, Sylvari, Norn e Char e as mais variadas classes. As raças, inclusive, não fazem diferença, pois não influenciam a gameplay. O que altera mesmo o jogo são as

classes.



O jogador tem a tarefa de reunir os membros da destemida Destiny's Edge, uma guilda de aventuras multirracial cujas lutas dos membros e eventuais reuniões servem como uma metáfora microcósmica para a unificação em larga escala das raças jogáveis. Sua força combinada é necessária para efetivamente combater Zhaitan, o Dragão Ancião morto-vivo.



Após a derrota do Elder Dragon Zhaitan no jogo "Personal Story", a 1ª Temporada do "Living World" começou. Esta história seguiu o personagem do jogador se juntando a um novo grupo de personagens para lutar contra a enigmática e insana Sylvari, Scarlet Briar.


Em defesa, ela cria estranhos grupos de inimigos como a Aliança Fundida (uma equipe que reúne Chars malignos e um dragão parecido com uma toupeira), o Toxic Alliance (uma combinação de Kraits parecidos com lagartos), a Corte do Pesadelo (um grupo de Sylvaris malignos) e os Aetherblades (piratas do céu steampunk).


Enquanto o jogador e seu novo grupo de heróis, composto por personagens de cada raça, lutam contra Scarlet, eles também aprendem sobre seu passado e investigam o que ela pode estar procurando.


Enfim, a temporada culminou com o ataque de Scarlet à cidade de Lion's Arch, pousando uma broca gigante conhecida como The Breachmaker no centro da cidade. O jogador e seus companheiros heróis lutaram e mataram a vilã, mas não antes de Lion's Arch ser deixada em ruínas e o Breachmaker perfurar uma Linha Ley, despertando um Dragão Ancião da selva anteriormente desconhecido, o Mordremoth.


3º - phantasy Star Online 2



Mais um MMO na vibe de Sci-fi. Nele você joga com um Arks, um tipo de operador que é enviado a alguns planetas para explorar e coletar recursos ou caçar animais. E essa parte acaba tornando o jogo muito semelhante à serie Monster Hunter. Com o lançamento para a Steam, vale a pena jogar.


Quanto à criação de personagem, é feita em anime, ou seja, é pesada e completa. Eu diria que a melhor parte é a grande variedade de customizações de personagens, pois podemos fazer muita coisa ali. As raças variam entre Humans, Deumans, Newmans e Casts. Temos também uma grande variedade de classes, as quais podem ser trocadas praticamente a qualquer momento.



A história do jogo se concentra principalmente nas façanhas da organização espacial conhecida como Oracle, que usa fótons para atravessar o universo e buscar novos planetas para colonização potencial. Enquanto isso, a empresa simultaneamente suprime a ameaça dos Falspawn, seres alienígenas criados por entidades malignas conhecidas como Dark Falz, que só existem para destruir o universo.


A Oracle está dividida entre uma nave-mãe, abrigando o núcleo central da frota, e uma enorme frota de naves espaciais que contêm todas as entidades civis e o principal departamento militar e de exploração, conhecido como ARKS (Artificial Relicit to Keep Species).



Mas e então, o que achou das nossas sugestões de jogos? Pretende jogar algum? De qualquer forma, essas são algumas novas aventuras que você pode viver mesmo preso em sua casa.



Quer saber mais sobre o universo GEEK? Então siga o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.

O Otageek é um portal de jornalismo cultural independente que produz conteúdo sobre cultura pop com uma abordagem mais próxima do Jornalismo e distante dos clickbaits e fake news.

© 2020 - Otageek BR . All Rights Reserved.