Jogamos a demo de Final Fantasy VII Remake. primeiras impressões

Atualizado: Abr 19

Falar sobre Final Fantasy VII sempre foi complicado. E não estou falando pela inovação com o sistema de matérias, ou pela história, pelos CGs muito bem feitos pra época, personagens cativantes e bem explorados. Eu não preciso falar muito desse jogo.


Porém foi anunciado a em junho de 2015 pela Square Enix um remake. Não sei vocês, mas eu fique com uma fusão de medo e animação. Não porque seria um remake de um jogo que sim, merece e muito, mas também por ter um enorme carinho por ele.


A nostalgia vem a tona com a introdução do jogo, a cena da Aerith vendendo flores, a visão de Midgar, a música, o trem, tudo é muito nostálgico. E poder ver agora, três gerações de console depois é algo que vai fazer alguns jogadores suar pelos olhos.


Dia 02 de março de 2020 foi liberado a Demo de Final Fantasy VII Remake. Eu vi muita gente em 3 dias reclamando muito porque o jogo não é mais em turnos, que fugiu do sistema original. Não vou mentir, seria muito bom se as mecânicas originais fossem mantidas. Mas seria só mais do mesmo, tipo chover no molhado sabe?


A Square Enix resolveu dar a cara a tapa e mudou todo o sistema de combate do jogo, o que, eu espero, não tire a dificuldade. Alterar o sistema clássico dos jogos da franquia que foi mantido até o Final Fantasy X foi um risco. Agora, será que ficou ruim assim? Vamos ao que vamos ao que interessa.


Review da demo


Final Fantasy VII Remake foi anunciado há quase 5 anos, E só agora a demo chega nas nossas mãos. Nesta demo temos a primeira missão no Reator 1. Com aquela abertura que todo mundo conhece. Ela traz exatamente a mesma cena que vimos no clássico, o zoom out da cidade de Midgar. Barret e seu grupo Avalanche aparecem lutando contra um SOLDIER. Cloud faz sua entrada saltando do trem. A demo teve como objetivo ser um grande tutorial do jogo, explicando o básico dos ataques, funções, atalhos e outros.


O sistema de batalha lembra vagamente do mesmo utilizado em Crisis Core Final Fantasy VII ou Final Fantasy XV, porém ele é intuitivo e dinâmico. Além de podermos dar ordens para outros personagens. As lutas fluem bastante com combates rápidos. As skills deram uma cara diferente pro jogo junto da famosa ATB (Action Time Battle). Ela continua enchendo sozinha, porém sempre que você acertar um inimigo ela recupera um pouco. É com ela que você vai utilizar suas skills e fazer ações como magias e itens.



Os famosos Limit Breaks estão no jogo, quanto mais dano você leva, mais ela vai encher, até você ter a opção de utilizar, na demo temos o Cross-Slash do Cloud e o Grenade Bomb do Barret.


O jogo tem belos gráficos e uma dublagem muito bem trabalhada. A trilha sonora foi regravada, mas não perde aquela mesma sensação. Ouvir o tema de batalha da até arrepio. A demo não decepciona, mesmo sendo muito curta. Você sai dela com uma noção de como o combate vai funcionar. E mesmo sem os turnos, a estratégia vai continuar presente nesse jogo.


Ainda estamos curiosos para colocar as mãos na versão completa e ver as diferenças que teremos da versão demo. A única coisa que muitos jogadores estão reclamando é que o jogo será divido em três partes.



Final Fantasy VII Remake vai trazer uma sessão nostalgia pra alguns, uma entrada nesse mundo rico para outros. Independente se você tiver jogando no PSOne, a versão remodelada feita pelos fãs ou o remaster de PS4. De uma chance a esse jogo que se tornou um marco para os jogos de RPG.


Final Fantasy VII Remake será lançado dia 10 de abril e no seu primeiro ano, ele será exclusivo para Playstation 4.

otageek amazon prime .jpg