Halloween e como é comemorado o Dia dos Mortos ao redor do mundo


Halloween, Finados, Dia de los Muertos, All Soul's Day... não importa o nome nem onde se comemora, todos nós temos um dia para homenagear as pessoas que se foram.



O Halloween é comemorado todo dia 31 de Outubro, derivando de rituais religiosos e das festividades ancestrais. O Halloween, ou dia das bruxas, ocorre em vários países como Canadá, Irlanda e Estados Unidos, mantendo algumas tradições como as fantasias, doces ou travessuras, pegadinhas e brincadeiras.


Todo ano no Brasil temos incontáveis festas à fantasia espalhadas pelo país. Isso me fez pensar: como os outros países comemoram o Halloween? Então continuem lendo para descobrir. Estão prontos? Então lá vamos nós!


México – Dia de los Muertos


Em países como México e Espanha também se inicia uma comemoração na mesma data, chamada “Dia de los Muertos”. Tendo início no dia 31 de Outubro e durando 3 dias, até 2 de Novembro, baseia-se na crença de que, na noite de Halloween, os espíritos dos entes queridos visitam a casa dos seus familiares vivos. Muitos constroem um altar em suas casas em homenagem aos mortos decorado com velas, flores e fotografias, oferecendo até comidas e bebidas que gostavam em vida. Muitas vezes uma bacia com água e uma toalha são deixadas para que o espírito possa se limpar antes de aproveitar o banquete.

Para guiar as almas dos entes queridos, algumas velas e incensos são acesos. A família também aproveita essa época para fazer reparos, limpar a sepultura e enfeitá-la com flores, especialmente com calêndulas mexicanas, também chamadas de “Flor de Muertos”, velas e caveiras feitas de chocolate ou açúcar.


Algumas pessoas escrevem pequenos poemas, chamados de “Calaveras Literarias”, falando de momentos divertidos e descrevendo hábitos engraçados de quem se foi. É muito comum ver, no dia 2 de Novembro, familiares fazendo festas nos altares e piqueniques perto dos túmulos, muitas vezes comemorando com tequila e até uma banda de Mariachi.


Irlanda e Escócia - SAMHAIN



Samhain, ou Samhuinn, é um festival religioso pagão originado das antigas tradições espirituais celtas. Ele é normalmente celebrado entre 31 de Abril e 1 de Maio para comemorar o início da colheita e iniciar a “metade obscura do ano”. Acredita-se que durante o Samhain as barreiras entre o nosso mundo e o mundo espiritual são quebradas, possibilitando uma maior interação entre os humanos e os habitantes do outro lado.

As famílias exaltam seus ancestrais e fazem danças, além de incluírem banquetes perto das fogueiras em boa parte de suas festividades. Comida é preparada tanto para os vivos quanto para os mortos, mesmo sabendo que os mortos não poderão comer. Além disso, sempre é divida com os menos favorecidos.



Antigamente os celtas acreditavam que, no cair da barreira entre os “mundos”, seria preciso preparar oferendas fora das vilas e em campos para fadas ou Sidhs. Também era esperado que seus ancestrais os visitassem, por isso eles se vestiam de animais ou se fantasiavam de monstros para não serem sequestrados pelos seus antepassados. Existe também uma lenda sobre o “Dullahan”, criatura que aparece em seu cavalo e simboliza a morte próxima de quem a vê.


Filipinas - PANGANGALULUWA



Os filipinos abriram mão das festividades mundanas e aproveitam os dias para prestar respeito aos mortos. Enquanto muitos aproveitam o Halloween para se fantasiar de quem quiser e comer doces até o limite humanamente possível, os filipinos começam uma maratona de 3 dias de atividades familiares, com início no dia 31 de Outubro e fim em 2 de Novembro.

O Pangangaluluwa acontece no primeiro dia e nos outros dois os familiares se preparam para passar horas no cemitério. As equipes dos cemitérios então se organizam para deixar tudo em perfeito estado para os visitantes. Infelizmente, durante a comemoração, o preço das flores e velas sobe muito. Todavia, os filipinos continuam comprando esse itens para homenagear seus entes queridos e familiares.

Os habitantes de Sagada, perto de uma província montanhosa, comemoram a ida de seus entes queridos com um evento chamado “Panag-apoy”, um Kakana-ey (dialeto local) que significa “Luzes para o alto”. As montanhas ficam iluminadas como se tivessem almas ali.



As crianças também têm um papel muito importante durante o Pangangaluluwa: muitas vezes fantasiadas, passam de porta em porta cantando e pedindo por orações para aqueles que morreram e estão presos no purgatório.


Polônia - DZIEŃ ZADUSZNY


Dzien Zaduszny ou Zaduszki é um feriado católico celebrado no dia 2 de Novembro. Nesse dia, pessoas visitam o cemitério para acender velas e rezar pela alma dos mortos, especialmente aqueles que possam estar no purgatório.

O ritual começa pelo cuidado com o cemitério: os familiares limpam os túmulos, decorando-os com flores e velas. Uma oração coletiva é organizada em homenagem aos mortos e termina com um padre dando suas bênçãos com preces e água benta.

Acredita-se que, durante os dias do Zaduszki no outono, os espíritos dos seus familiares visitem suas antigas casas, aquecendo-se na lareira e procurando pela refeição preparada para eles. Antes dessas almas voltarem para o outro lado, elas vão até a igreja para uma missa noturna pela alma de um padre.



Não é permitido aos vivos ver esse ritual dos mortos, e aqueles que violarem essa regra serão severamente punidos.


Nigéria - AWURU ODO FESTIVAL


Os Igbos vivem no sudeste da Nigéria e comemoram o dia dos mortos com um festival único de máscaras, que acontece a cada 2 anos. Eles acreditam que os “mortos não se foram e não são esquecidos”, pois permanecem ajudando os vivos e os protegendo de espíritos malignos, além de preverem o futuro. Os mortos possuem o poder de renascer e têm uma função muito importante na existência da tribo.

Odo é um termo utilizado para descrever “o retorno do espírito que passa até seis meses com os vivos durante o festival”. Acredita-se que eles apareçam como homens ou mulheres utilizando máscaras. O preparo para a celebração requer muito treino e sacrifícios para a comunidade. As mulheres são as mais envolvidas no processo: são as responsáveis por cozinhar toda a comida, organizar o coro para apresentação e também entreter o público. Outras preparações como músicas, roupas e cerimônia são feitas fora da vila.


A transformação de um morto em um Odo envolve técnicas guturais de fala e largos movimentos. As máscaras normalmente são grandes, como a de um crocodilo, ou confeccionadas apenas de folhas. Elas são símbolos de hierarquia entre os Odo e destacam a importância de se manter a tradição como iniciação dos mais novos da tribo, fazendo com que eles perpetuem a cultura dos Igbos.

Leia também:


ROMêNIA - Dia do DRÁCULA



O conceito do vampirismo vem de muito tempo atrás, desde os chineses colocando uma cordinha dentro do caixão ligada a um sino do lado de fora do túmulo até as lendas no antigo Egito e na Babilônia, as quais contam sobre criaturas demoníacas mortas-vivas que precisavam de sangue para sobreviver. Porém, foi o príncipe Vlad III de Wallachia (Romênia) a inspiração real para o vampiro de Bram Stoker.

Vlad Tepes foi um cruel e impiedoso imperador, ganhando o apelido de “Vlad O Empalador” por torturar de vários jeitos seus inimigos e aqueles que o traíam. Conta-se que ele matou mais de 100.000 pessoas durante seu reinado e ficou extremamente famoso pelas suas “florestas” de pessoas empaladas.


Pessoas ao redor do mundo se reúnem para celebrar o Halloween no suposto castelo de Vlad "O Empalador” Tepes, o Bran Castle, localizado na região da Transilvânia na Romênia... ainda que esse nunca tenha sido seu castelo de fato. Não existe uma celebração específica ou um ritual ancestral ou espiritual. Apenas a lenda do Drácula faz com que no dia 31 de Outubro pessoas do mundo todo viajem até os castelos da Romênia, participando de festas e tour dentro dos locais que podem ter pertencido ao “Empalador”.


HONG KONG - THE HUNGRY GHOST FESTIVAL


O “Festival dos Fantasmas Famintos” é celebrado no décimo quinto dia do sétimo mês lunar, sempre acontecendo entre o final de Julho e começo de Agosto. Trata-se de uma das grandes festividades tradicionais da China para homenagear os seus ancestrais.

Algumas cerimônias especiais são feitas para prevenir a ira dos fantasmas, como deixar antigas escrituras familiares sobre a mesa, queimar incensos e preparar três refeições naquele dia. Os chineses colocam as fotos de seus ancestrais, pinturas e escrituras, queimam os incensos e reverenciam seus antepassados, relatando seu comportamento e recebendo a benção ou punição por isso.

No primeiro dia do festival, pessoas queimam dinheiro falso fora de suas casas e empresas, junto da rua, em campos ou até mesmo em templos, como muitos também preferem. Assim, elas acreditam estar dando o dinheiro que os fantasmas precisam. Também são colocadas lanternas de papel vermelhas nas casas e empresas.

Já no último dia do “Festival dos Fantasmas Famintos”, acredita-se que os portões do inferno sejam fechados novamente. Para então levar os fantasmas para longe, monges taoístas cantam para que eles partam. Os espíritos odeiam este som, começando a gritar e se lamentar.


Muitas famílias colocam lanternas em pequenos botes ao anoitecer, também feitas de papel colorido, com o nome dos seus ancestrais escrito. Pela tradição, os fantasmas as seguem flutuando para longe junto do rio. Assim termina o festival.

Conteúdo recomendado:

O Halloween tem muitas interpretações: o dia dos mortos ao redor do mundo carrega culturas, tradições ancestrais e rituais de dança, música, entre outras. Espero que você tenha gostado da matéria. Então fala pra gente se você conhece outras celebrações ou festividades de "Halloween" aí nos comentários! Até a próxima, FUI!

Se você gostou do nosso conteúdo, te convido a ler nossos outros textos ou ouvir o nosso podcast. Nesta semana comentamos sobre a franquia Pânico!


Não atraia a ira dos seus ancestrais, apoie o Jornalismo Cultural seguindo o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.
otageek amazon prime .jpg