Crítica: Voyager Escape Room - Assasins's Creed Escape the Pyramid

Atualizado: Abr 19

Uma experiência para todas as idades sendo gamers ou não.


A evolução tecnológica nos permitiu diversos avanços na área de entretenimento e games, sendo a realidade virtual a mais nova forma de jogar novos games. O VR, como conhecido, não é recente, ele teve sua popularização com o Oculus Rift em 2016, mas não de uma forma que mudasse do dia para noite a indústria dos games. Hoje as coisas já começam aos poucos mudar com experiências novas sendo feitas para os games de VR, e não existe melhor lugar para testar essa nova experiência em games do que na Voyager escape room.


Fonte: Arquivo pessoal


A Voyager é uma empresa que está com estabelecimentos nos shoppings Morumbi Town e JK Iguatemi, lá você pode acessar diversos jogos de VR, sendo os de estilo escape room exclusivos da Morumbi Town. Os preços variam, mas são acessiveis e mais baratos que escape rooms convencionais.


Em parceria com a Ubisoft, a Voyager escape room criou a experiência Escape the pyramid que é no mesmo universo do Assassin's Creed, um jogo cooperativo feito para se jogar com 2 ou 4 jogadores. Apesar da sua conexão com o universo do jogo não espere personagens da franquia ou alguma história completamente conectada aos games, o jogo é para ser uma experiência que faça você se sentir um aventureiro preso em uma pirâmide cheia de desafios.


Na curta introdução, o jogo nos conta sobre escavadores que foram investigar a pirâmide e passaram por diversos perigos e desafios dentro dela, sendo nossa função encarnar eles e descobrir quais desafios eles haviam visto lá. Após isso o jogo te permite escolher seu personagem e colocar acessórios nele a vontade. Esse tutorial e construção de personagem funciona muito bem e explica tudo o que precisa saber sobre as simples mecânicas do jogo. Tudo é feito com apenas um botão no controle de cada mão, desde andar, até pegar itens. Pessoas com pouca experiência em games vão ficar felizes com este elemento, já que permite para eles uma experiência com zero frustrações, sendo a única dificuldade lembrar que não se pode andar, e que para isso é preciso usar o botão de teletransporte. Claro que se acabar andando não precisa se preocupar, o jogo possui uma mecânica que ao abrir os braços para os lados, ele irá te mostrar paredes azuis (chamadas de GRID) que mostram os limites do espaço, sendo assim possível você retornar com facilidade ao meio.


Os desafios do jogo começam simples e vão dificultando ao longo do tempo, sendo necessário prestar atenção aos detalhes em volta e até utilizar as mecânicas de ajuda (que envolve você levantar os braços para cima), para que você descubra seu próximo objetivo. O equipamento além do visor com fones, contam também com um microfone que conecta você aos seus companheiros, e também com a atendente da Voyager, caso tenha alguma emergência ou caso o jogo esteja muito difícil e assim ela pode dar dicas. Comunicação com seus companheiros no jogo é essencial, já que muitos desafios você irá precisar guiar ou conversar sobre como resolver eles.


Como fã de escape rooms não pude deixar de comparar experiências e devo dizer que apesar da diversão de escapes normais, esse nos possibilita possibilidades maiores e mais interessantes em entretenimento. Em escape rooms normais você pode se juntar com um grupo grande de amigos, mas no final pode acabar se sentindo como o inutil do grupo que não fez nada ou mal conseguiu ajudar, algo que não vai ocorrer em Escape de pyramid. O jogo requer que cada um complete tarefas para que o outro possa avançar, fazendo com que cada um seja essencial em sua tarefa.


Os gráficos do jogo são lindos e é muito divertido olhar tudo ao seu redor, desde os detalhes mais próximos até os mais distantes, tudo parece muito bonito, mesmo que não incrivelmente realista. Esperar algo como a vida real é besteira, apesar de estarmos evoluindo bastante nos gráficos.


A única pequena coisa que precisa melhorar no jogo são certas mecânicas de segurar objetos ou movimentar eles, já que as vezes você precisa estar perto demais deles ou até encontrar alavancas difíceis de puxar, como uma em forma de mastro que só podia utilizar uma mão.


A experiência de escape room virtual foi algo realmente promissora, ao terminar você consegue imaginar as possibilidades futuras, desde desafios competitivos de quem resolve labirintos primeiro, até um tipo de mario party com puzzles. Escape the Pyramid foi uma aposta positiva na questão de entretenimento para todos. Pessoas procurando mais desafio podem também ir no novo escape room VR do Assassin's creed na Grécia que conta com desafios bem mais difíceis e uma surpresa no final!


Conclusão:

O jogo se propõe a ser uma aventura de uma hora, acessivel para todos, mas sem ser absurdamente fácil, e combinando tudo visto é possível dizer que cumpre tudo o que propõe de forma eficaz. Escape the pyramid fará você escalar, atirar flechas, testar sua mira e percepção de detalhes, tudo isso em 50 minutos de uma experiência linda, rica em detalhes e muito divertida. Essa diversão pode ser aproveitada para todas as idades e tendo experiência ou não. É uma experiência que não fica limitada a pessoas experientes sendo uma diversão diferente para todos que quiserem algo completamente novo.


Mais informações:


Quando: De segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingo, das 11h às 22h

Onde: Morumbi Town Shopping (Av. Giovanni Gronchi, 5930 – Vila Andrade, São Paulo) ou para outros jogos no shopping JK Iguatemi (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041 - Vila Olímpia)

Classificação: Acima de 10 anos

Preço: R$59,90 (de segunda a quinta) e R$69,90 (de sexta a domingo)


Cobertura e texto por: Pedro

O Otageek é um portal de jornalismo cultural independente que produz conteúdo sobre cultura pop com uma abordagem mais próxima do Jornalismo e distante dos clickbaits e fake news.

© 2020 - Otageek BR . All Rights Reserved.