OTAGEEKCAST #36 Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna - Vamos falar sobre e Crítica; confira!

Atualizado: há 3 dias


Tai é agora um estudante universitário, morando sozinho, se esforçando todos os dias, mas com seu futuro ainda indefinido. Enquanto isso, Matt e outros continuam trabalhando nos incidentes causados pelos Digimons e em atividades para ajudar pessoas. Quando ocorre um fenômeno sem precedentes, os Digiescolhidos descobrem que, quando crescerem, seu relacionamento com o parceiro Digimon chegará ao fim.



ATENÇÃO: CONTÉM SPOILER


Servindo um filme belíssimo visualmente, com um enredo emocionante e uma trilha sonora incrível, o último filme de "Digimon Adventure" encerra a jornada das oito crianças e seus parceiros Digimons.


O filme se inicia entregando muita nostalgia, com direito a Parrotmon atacando a cidade. Mas além da nostalgia temos cenas maravilhosas: a antiga cena de digievolução ao som de uma nova versão de Brave Heart, Angemon e Angewomon voando pela cidade atrás do Parrotmon, Greymon VS Parrotmon, e o melhor... utilizaram a cena clássica do Greymon digivolvendo para Metal Greymon.



Mas o filme não entrega somente nostalgia... nessa nova história podemos ver que Tai e Matt não são mais crianças ou adolescentes, eles estão se tornando adultos. Tai agora é um universitário que estuda durante o dia, tem um trabalho de meio período (péssimo, inclusive) e mora sozinho em um apartamento minúsculo.


Além de todo o drama do dia-a-dia, os digiescolhidos agora precisam lidar com um problema estranho. Várias pessoas estão entrando em coma misteriosamente, mas com um detalhe em comum: todas as pessoas em coma são digiescolhidas. Ter uma vida normal e ser um digiescolhido pode causar muita pressão, tal qual a que Sora não conseguiu lidar e acabou desistindo de ser uma digiescolhida para se dedicar a ser apenas uma garota comum.


Nessa parte vemos um ponto negativo do filme: a Sora foi muito mal utilizada, mal aparece durante a trama, rompeu seu vínculo com Biyomon e nem temos tal cena sendo mostrada. Outro ponto negativo é a equipe do Adventure 02: eles participam, mas sua participação é bem fraca, sem nada de emocionante. Eles foram para Nova York a pedido do Matt para descobrir informações sobre uma mulher que ofereceu ajuda à equipe.


Voltando às referências nostálgicas, temos batalhas dentro da internet, as quais são incríveis. A animação durante essas batalhas está perfeita: todas as lutas contra Eosmon dentro da Internet são épicas e sem nenhum defeito, tanto na parte visual quanto na trilha sonora.



No decorrer da história descobrimos que assim que um digiescolhido se torna adulto a ligação entre ele e seu Digimon acaba, pois o motivo dos Digimons escolherem crianças como parceiros é que uma criança tem infinitas possibilidades, e isso é a energia para despertar as digievoluções no Digimon.



A motivação do vilão da história é chocante e também tocante. Ele deseja que as crianças nunca se tornem adultos, pois assim elas vão poder permanecer com seus amigos Digimons e nunca precisarão passar pelo evento da dor que é ver seu amigo Digimon ir embora. Mas manter os digiescolhidos presos em uma lembrança da infância dentro de uma área da internet não é a solução.


Durante esse momento podemos ver vários digiescolhidos conhecidos presos em suas lembranças, inclusive Mei e Meicoomon, assim temos a resposta de que Digimon Tri é canon.


O desenvolvimento de Tai e Matt com seus digimons é incrível e você acaba se emocionando, pois consegue ver o quanto eles cresceram durante a história. E prepare a emoção, pois todo esse diálogo é ao som da melodia Shouri Zen, ou seja, não tem como não chorar.


Na batalha final temos toda a equipe contra Eosmon, e o momento emocionante da última evolução de Agumon e Gabumon junto com seus parceiros. O momento é perfeito, porém eu não entendi o conceito de não terem mostrado nenhuma cena de digievolução na ocasião. Aparece somente um clarão e desse clarão saem Tai e Matt junto com Agumon Bond of Courage e Gabumon Bond of Friendship.



Após toda a batalha final temos o momento mais triste do filme: a despedida entre Tai, Matt e seus parceiros Digimons.


Se você não chorou até aqui, se prepare, pois agora você vai chorar. O momento em que Agumon olha com os olhos brilhantes e se diz orgulhoso de ter visto o quanto o Tai cresceu é lindo. E não acaba depois disso, pois temos o Matt tocando sua gaita uma última vez para Gabumon.



E assim o filme termina dando uma conclusão para essa jornada incrível, que cresceu junto com grande parte dos fãs.


O filme tem seus pontos negativos, porém ele é perfeito de sua maneira. Com ele podemos ver vários pontos de como crescer e se tornar um adulto é difícil e o quanto desistir de algo para assumir responsabilidades pode ser doloroso, mas são eventos necessários para a vida.


Ouça agora o nosso podcast onde debatemos e aprofundamos mais na trama e sua produção!

Escolha sua plataforma:

Apresentação: Riuler, Norman e Bruna

Ou, se preferir, ouça online a partir do nosso player no Castbox:



Quer saber mais sobre o universo de Digimon? Então siga o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.

O Otageek é um portal de jornalismo cultural independente que produz conteúdo sobre cultura pop com uma abordagem mais próxima do Jornalismo e distante dos clickbaits e fake news.

© 2020 - Otageek BR . All Rights Reserved.