• Lucas Almeida

Crítica | A emocionante história do Grande Ivan (The One and Only Ivan)


Inicialmente programado para ser lançado nos cinemas, The One and Only Ivan, baseado no best-seller de Katherine Applegate, estreou diretamente no Disney+ por conta da pandemia do coronavírus.


O longa-metragem tem o roteiro de Mike White e a direção ficou por conta da Thea Sharrock. No projeto temos Bryan Cranston estrelando o longa e grandes nomes da indústria deram as suas vozes para o trabalho de dublagem, como Sam Rockwell, Danny DeVito, Brooklynn Prince e Angelina Jolie.



A trama gira em torno do gorila Ivan! O animal é a atração principal do pequeno circo que fica dentro de um shopping e, por desde muito novo viver fora da floresta, Ivan tem poucas lembranças de como era sua vida quando criança. Contudo, com a chegada de Ruby, uma bebê elefante, ele começa a se questionar sobre de onde vem e onde de fato deveria estar.

Vale ressaltar que o popular e super premiado livro de Applegate, que serviu como base para o longa, foi inspirado na triste história real do gorila Ivan. Ainda bebê, após ser contrabandeado do Congo para os EUA na década de 60, o pequeno gorila ficou por 27 anos em exposição num Shopping.


Isso até que, na década de 90, a revista National Geographic fez uma reportagem sobre ele e manifestantes pediram um tratamento digno à vida do animal, assim levando o lugar à falência. Após o ocorrido, sem condições de sobreviver na selva, Ivan foi levado ao zoológico de Atlanta e, depois de muito anos, finalmente conheceu outros membros de sua espécie.


Primeiramente, temos que entender que esse projeto é um original da Disney e claramente direcionado ao público infantil. Dito isso, não vá esperando que o longa esboce uma reflexão sobre os maus tratos aos animais e nem uma simples discussão e aprofundamento em volta do assunto principal da própria trama. Aqui, temos uma história, é claro, muito bonita e que inevitavelmente vai te emocionar. Entretanto, ela é contada nos moldes do estúdio e dentro da fórmula de sucesso da Disney.



Um ponto interessante sobre tudo isso é que a junção dessa fórmula mágica do estúdio com a ótima história base para o projeto acabou funcionando muito bem e transformou esse filme numa ótima opção de entretenimento e, digo mais, o longa poderá proporcionar aos pais uma abertura para um diálogo mais sério com as crianças sobre a crueldade que é a exploração animal.


Não podemos deixar de ressaltar o trabalho de efeitos especiais do longa. É claro que se olharmos as últimas produções com animais live-action do estúdio, Mogli: O menino lobo, Dumbo e Rei Leão, a Disney não precisa provar mais nada, não é mesmo? Só que nesse projeto eles fizeram muito bem uma espécie de junção do realismo de O Rei Leão com o toque cartunesco dos animais de Mogli, deixando-os com um aspecto mais emotivo, aquele olhar mais humanizado e literalmente mais interessante de assistir.



Trago um destaque também para todo trabalho de dublagem: Sam Rockwell, que dá voz ao gorila Ivan, traz a imponência e a calma que o protagonista precisaria ter; Danny DeVito, ao contrário, transborda carisma e muita simpatia ao cão Bob; Brooklynn Prince vem com a inocência e a doçura nas palavras da pequena elefante Ruby e Angelina Jolie, de um jeito apaixonante, transmite toda a sabedoria nas precisas frases da elefante Stella.

Pois bem, The One and Only Ivan é definitivamente um filme para assistir não só com as crianças, mas também com toda a família. O longa vem com tudo que a Disney sabe fazer de melhor e, ainda, proporciona um diálogo pós filme com as crianças, refletindo sobre como nós seres humanos nos relacionamos com todos os outros animais deste planeta.


Continue lendo:

Se você gostou do nosso conteúdo, te convido a ler nossos outros textos ou ouvir o nosso podcast.



Apoia o Jornalismo Cultural independente seguindo o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.
otageek amazon prime .jpg