• Wando Moreira Don Wandolero

5 HQs para entender sobre polarização de ideias

Atualizado: Mai 15


A polarização de ideias sempre existiu desde que o mundo é mundo, seja para saber a diferença entre bolacha ou biscoito ou para saber qual forma de governo é ideal para um país.

Atualmente, com a pandemia do coronavírus (COVID-19), essa polarização tem se acentuado em debates acalorados, seja em redes sociais ou até em contatos pessoais (mesmo que de modo limitado por causa de regras de distanciamento social).

Pensando nisso, selecionei cinco HQs que lidam com diversas formas de polarização e que ocasionalmente terminam em conflitos drásticos. Nesses arcos poderemos notar algumas maneiras de se formar uma polarização.


ALERTA DE SPOILERS



Guerra Civil 1: Direito Individual ou Direito Coletivo (Marvel)


O enredo dessa história, criada em 2007 por Mark Millar, gira em torno da discussão a respeito da Lei de Registro de Super-Humanos.

A lei foi imposta pelo governo estadunidense após um trágico acidente causado pelos Novos Guerreiros em Stanford, visando obrigar todos os heróis uniformizados a revelarem suas identidades e passarem a ser supervisionados pelo Estado.


Com isso, a comunidade super-heroica divide-se entre aqueles que apoiam a Lei, liderados por Tony Stark, e os que são contra, liderados pelo Capitão América.



Nessa minissérie de 6 capítulos, ficou evidente o conflito entre o direito individual dos heróis em manter suas identidades secretas no anonimato, representado pelo Capitão América, e o direito coletivo de revelar os alter egos para o respeitar da lei, como foi proposto por Tony Stark. Além disso, Stark argumentava pelo bem-estar da população e o acato da opinião pública, que queria ver o fim dos heróis mascarados.



Deus Ama, o Homem Mata: Os perigos da polarização radicalizada (Marvel)


Escrito por Chris Claremont em 1982, traz uma história na qual os

precisam se unir com o seu principal rival, Magneto, para combater um pastor religioso fundamentalista que prega em seu programa de TV que os mutantes são filhos do demônio. Além disso, secretamente ele comanda uma milícia conhecida como Purificadores, com o intuito de eliminar mutantes.


Essa graphic novel mostra em suas páginas como um ponto de vista pode se tornar radical ao extremo, não só pelo fato do Reverendo Stryker e seus Purificadores, mas por muitos que começam a acreditar nos ideais desse religioso. Outro aspecto que essa HQ traz é a maneira de se resolver um conflito, retratando a velha disputa entre resolver o problema de modo pacífico (visto nas falas de Charles Xavier e de seu principal aluno Scott Summers, o Ciclope) e ir ao confronto e lutar de todas as formas (como vimos no caso do Magneto).



Injustice - Deuses entre Nós: O que fazer após uma tragédia (DC)


Baseada no famoso game Injustice - God Among Us, a série de cinco partes, escrita por Tom Taylor, se passa em uma realidade alternativa onde Superman cai em tirania. Após a morte de sua família nas mãos do Coringa, ele estabelece um regime totalitário na Terra Um. Em resposta, Batman forma uma insurgência para lutar contra o regime.


Nessa obra, percebemos como uma tragédia pode corromper princípios e colocar à tona disputas para mostrar quem realmente é o certo ou o errado em uma discussão.




X-Men vs Vingadores: O que fazer diante do desconhecido (Marvel)


O crossover, escrito em 2012 por Brian Michael Bendis, Matt Fraction, Jason Aaron, Ed Brubaker e Jonathan Hickman, lida com a rivalidade entre os dois maiores grupos de heróis da Marvel. O conflito é desencadeado por causa da potencialmente desastrosa volta da Força Fênix e sua provável hospedeira, a mutante Esperança.


Nessa minissérie, cientes da vinda da entidade Fênix à Terra, todos ficam concentrados na jovem Hope, mutante que era destinada a ser a hospedeira da Fênix. Porém, enquanto os X-Men acreditam que a presença da Fênix indicaria o ressurgimento dos mutantes após os eventos da Dinastia M, os Vingadores alegam que a entidade deveria ser detida, e para isso eles precisam manter Hope em custódia.



Esse arco mostrou uma maneira na qual a polarização pode ser encontrada: na incerteza do desconhecido. O que deve ser feito para lidar com algo que não sabemos? Essa é a questão ideológica que vai pôr de lados opostos a equipe liderada por Ciclope e os membros comandados pelo Capitão América.



Liga da Justiça e Vingadores: Visões de mundos diferentes (DC/Marvel)


Produzida em 2003 por Kurt Buziek, Liga da Justiça e Vingadores é uma minissérie com 4 edições que une os mundos dos heróis da DC Comics e da Marvel Comics em uma batalha pela vida de ambos os universos. Um ser chamado Krona, inimigo de longa data dos heróis da DC, está atrás da resposta para a existência de tudo e ameaça destruir tudo até que, da destruição suprema, surja a resposta que ele tanto almeja. Para impedir que isso aconteça, o Grão-Mestre, um ancião universal da Marvel, que contém enorme poder e conhecimento, cria uma disputa com Krona para decidir qual dos mundos deverá ser destruído: o mundo dos Vingadores ou o mundo da Liga da Justiça.



Nessa série, vimos uma oposição entre visões de mundo dos principais heróis de cada equipe.


Enquanto o Superman acha que o Universo Marvel é uma terra com heróis pouco preocupados e desorganizados, o Capitão América acredita que o Universo da DC seja um mundo governado por superseres autoritários e que almejam a adoração de si como se fossem deuses.




Isso tudo encena a maneira que muitos tem de querer enxergar o mundo de formas opostas e achar que um ponto de vista é pior que o outro.

O Otageek é um portal de jornalismo cultural independente que produz conteúdo sobre cultura pop com uma abordagem mais próxima do Jornalismo e distante dos clickbaits e fake news.

© 2020 - Otageek BR . All Rights Reserved.