Analisando Digimon: Adventure (2020)

Atualizado: Set 28


“É o ano de 2020. A Rede tornou-se algo indispensável para a vida dos humanos. Mas o que eles não sabem é que, por trás da Rede, existe um mundo de luz e trevas conhecido como o Mundo Digital, habitado pelos Digimons. Quando Taichi Yagami tenta salvar sua mãe e sua irmã, que estão a bordo de um trem desgovernado, ele entra na plataforma... e um estranho fenômeno o leva para o Mundo Digital. Ele e outros Digiescolhidos encontram seus parceiros Digimons e embarcam numa aventura em um mundo desconhecido!”


ATENÇÃO! CONTÉM SPOILERS


Digimon Adventure é um clássico dos animes. Desde seu lançamento, em 1999, o anime vem conquistando uma quantidade imensa de fãs. Mas o conceito de mundo digital para aquela época era um pouco complexo demais.


Hoje, em 2020, a tecnologia está integrada à nossa vida, e atualmente é impossível viver sem ela. Cinco minutos sem Wi-Fi e você já surta. Assim, a Toei viu a oportunidade de trazer Digimon para a atualidade, apresentando o conceito de monstros digitais e mundo digital para as crianças da nova geração.


Reprodução: Crunchyroll

O reboot vem entregando ótimos episódios... já nos três primeiros episódios podemos perceber que o novo anime está focado em lutas mais dinâmicas e um desenvolvimento mais rápido também. Mas tal questão não atrapalha nem um pouco a qualidade da nova obra. Muito pelo contrário, deixou o anime muito mais empolgante.


Diferentemente do anime clássico, em Digimon Adventure: (2020) nós temos a introdução das crianças escolhidas acontecendo de pouco a pouco. No início somos apresentados primeiro ao Taichi (Tai), Koshiro (Izzy) e Yamato (Matt), e só depois, no Digimundo, é que conhecemos Sora, Mimi e Joe.


Reprodução: Crunchyroll

Outro ponto diferente do clássico é que agora os brasões, as virtudes de cada digiescolhido, aparecem logo de início e se desenvolvem bem mais rápido, surgindo a cada momento em que a criança emana aquele sentimento ou nos momentos críticos de Digievolução.

Podemos observar isso logo nos primeiros episódios: as crianças são levadas para o Digimundo através dos brasões e, a cada situação durante as lutas, eles fortalecem os Digimons, dando um “buff” extra de poder quando o seu parceiro faz uso daquele sentimento.


Reprodução: Crunchyroll

E por falar nos brasões, não podemos deixar os brasões da Luz e da Esperança de lado, pois dessa vez eles realmente são brasões especiais. Os brasões da Hikari e do Takeru realizam um milagre logo no início, fazendo a fusão do Omegamon acontecer e assim salvando a vida não só do Taichi e do Yamato, mas de toda a Tóquio.


Reprodução: Crunchyroll

Infelizmente, a série ainda está fazendo muito mistério sobre os dois digiescolhidos especiais. Mas até agora tudo está sendo justificado, pois os Digimons sagrados são realmente sagrados e desempenham um importante papel na batalha entre luz e trevas.


Reprodução: Crunchyroll

A missão principal das crianças até o momento é ir atrás dos Digimons sagrados para auxiliarem na batalha contra os Digimons malignos. Nesse ponto o enredo, mesmo sendo parecido com o antigo, está sendo muito bem entregue e desenvolvido.


A nova mitologia inserida está muito boa, e no decorrer do anime tivemos a confirmação de que todos os Digimons atingirão o nível Mega, pois eles são a reencarnação dos Digimons lendários que lutaram na guerra entre os Digimons sagrados e os malignos no passado.


Reprodução: Crunchyroll

Já podemos ver o desenvolver disso e, como o anime está mais rápido, o desenvolvimento de cada um também está “acelerado”. No episódio 11 já temos a aparição de MetalGreymon. Após isso, cada um foi desenvolvendo sua virtude e assim se fortalecendo, conseguindo atingir o nível ultimate.


Reprodução: Crunchyroll

As lutas que despertaram os níveis ultimates estão incríveis: além do embate entre os Digimons, temos o plot pessoal de cada criança se fortalecendo para crescer e ajudar os amigos. Dentre os novos digiescolhidos, os que se destacam muito nesse desenvolvimento são Yamato, Sora, Mimi e Koshiro. Até agora esses foram os que mais chamaram atenção no momento de fortalecer sua virtude e despertar o novo nível de força.


Reprodução: Crunchyroll

O Joe infelizmente ainda continua um pouco perdido, mas não é culpa do personagem: a virtude dele, o brasão da confiança, é bem complexa, pois não representa somente um sentimento, mas sim uma gama de sentimentos que todos esperam que um adulto tenha.


Estamos falando de sentimentos como honestidade, confiança, fé e algumas outras virtudes de um adulto. Isso acaba deixando o personagem um pouco sobrecarregado, mas o novo Joe está conseguindo superar o antigo.


Reprodução: Crunchyroll

Mas e os Digimons? Agumon, Gabumon, Palmon, Tentomon, Piyomon e Gomamon estão nas suas melhores versões. O Gabumon tenta ser a contra-parte do Yamato, mostrando que ele não precisa carregar todo o peso das coisas sozinho. Palmon ajuda a Mimi a ver o melhor das coisas. Agumon não teve muitas alterações, continua sendo o Agumon de sempre do clássico.


Gomamon também se destaca bastante, comportando-se como a contra-parte do Joe, pois ele o ensina a ser relaxado, mas sério e prestativo quando necessário, sendo um ponto de estabilidade para seu parceiro. Já Tentomon é bem parecido com o Gabumon e o Gomamon: ele sempre busca tranquilizar e mostrar que a sabedoria do Koshiro não está no computador, e sim no seu cérebro.


Todavia, o Digimon que mais está se destacando até o momento é Piyomon, que agora sempre está disposta a lutar junto de Sora, a qual segue da mesma forma: Sora agora não tem medo de batalhar e sempre se coloca à frente para ajudar o próximo. Assim, a garota fortalece sua virtude: o amor, a empatia com o próximo.


Um dos melhores episódios até agora foi o episódio no qual Birdramon digivolve para Garudamon. Esse episódio foi incrível e a forma como o anime trabalhou as duas foi emocionante. Finalmente a Toei está dando o devido valor à Sora... a reparação histórica veio.


Reprodução: Crunchyroll

A primeira parte do anime está focando nas ações de Devimon. O vilão clássico continua com sua aura sombria e assustadora. Dessa vez não temos engrenagens negras, os Digimons estão sendo controlados com a ajuda de SoundBirdmons e pelo miasma negro, miasma esse sobre o qual até o momento não foi revelada muita coisa.


Reprodução: Crunchyroll

Além do Devimon, o anime trouxe de volta Orgemon e Leomon. Orgemon voltou, mas dessa vez está agressivo e imponente, um verdadeiro guerreiro. Ele foi outro que sofreu uma reparação histórica, pois junto de Greymon proporcionaram a melhor luta corpo a corpo de todas, e no final ainda se sacrificou para ajudar as crianças e seus digimons, considerando Greymon um grande guerreiro.


Reprodução: Crunchyroll

Já em relação ao Leomon, ele não apareceu presencialmente ainda, somente foi citado como líder de um grupo que protege os Digimons mais fracos.


Quanto ao enredo, o anime não está falhando em nenhum momento. Ele está sendo rápido, mas ao mesmo tempo sabendo caminhar a passos lentos para manter o hype do público. É claro que nem tudo é perfeito, existem pequenos furos no roteiro, mas tal ponto não tira nem um pouco a qualidade da nova obra.


Quanto à animação, posso dizer que está incrível. Os Digimons agora lutam corpo a corpo e utilizam bem menos golpes especiais, permitindo ao anime demonstrar uma animação bem fluida durante as cenas. Há alguns episódios com um pouco de oscilação gráfica, mas é um detalhe bem mínimo.

As lutas se tornaram bem mais épicas, pois agora os Digimons digivolvem durante a batalha, ao mesmo tempo em que lutam. Isso deixou as batalhas bem mais animadas e empolgantes.


Reprodução: Crunchyroll

A trilha sonora também está perfeita: a obra nova não tem Butterfly e nem Brave Heart, mas temos novas músicas de abertura e encerramento, além de novos temas para a digievolução. A música de abertura é a Mikakunin Hikousen, o tema de encerramento é Kuyashisa wa Tane e para as digievoluções temos dois temas: para a de nível Champion temos a Be The Winners e para a o nível Ultimate temos a X-Treme Fight. Resumindo, mesmo sem as músicas clássicas, o novo anime está com músicas impecáveis.


É por todos esses pontos que eu digo: o novo anime está incrível e merece ser reconhecido, pois ele carrega toda a essência do clássico com o adicional de estar voltado para a atualidade e as novas crianças. Portanto, deixe seu saudosismo em relação ao clássico de lado e dê uma chance para essa obra sensacional!


Com transmissão simultânea à do Japão por aqui através da Crunchyroll, Digimon: Adventure é um reboot da animação original de mesmo nome, produzida pela Toei Animation em 1999.


Todo Sábado às 23:30 é disponibilizado um novo episódio da série no catálogo da Crunchyroll. Então deixe a nostalgia pra lá e acompanhe essa nova aventura pelo Digimundo.



Aproveite para conferir o episódio especial do nosso podcast, no qual falamos sobre Digimon: Adventure (2020). E caso esteja curioso para saber mais do Digimon clássico, dê uma olhada em nossa crítica de Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna. Já se quiser relembrar os acontecimentos de "Digimon: Adventure (2020)" até agora, temos os reviews dos episódios anteriores.


__________________________________________________________________________________


Se você gostou do nosso conteúdo, te convido a ler nossos outros textos ou ouvir o nosso podcast. Nesta semana comentamos sobre os indicados ao Emmy 2020.



Apoie o Jornalismo Cultural seguindo o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.
otageek amazon prime .jpg