Boku no Omawarisan | E a representação do homem adulto Gay

Atualizado: Mai 19

Bom, antes de começar a falar sobre esse mangá, gostaria de ressaltar que se trata de uma obra para maiores de idade. Caso tenha menos de 18 anos, esse material não é para você.

Lembrando também que você é livre para consumir o tipo de conteúdo que quiser, entretanto, todo conteúdo midiático e cultural é produzido visando atingir determinado público.


Então, alguns materiais podem não agradar determinado perfil de audiência e esses padrões não podem ser tratados como oito ou oitenta. Porém, na indústria cultural somos tão acostumados a consumir material de entretenimento majoritariamente produzido seguindo patrões patriarcais e heteronormativos, que esquecemos da existência de outros espectros e pontos de vista para criação de narrativas.


Agora que preparei o terreno, vocês estão preparados para conhecer uma história de romance entre homens na qual um deles não morre tragicamente e não são meros coadjuvantes?


Sobre a trama de Boku no Omawarisan


Boku no Omawarisan é um mangá da autora Niyama, publicado no Japão em 2017 como gênero de Yaoi, Romance e Comédia. Na trama somos apresentados a Seiji Tajima, dono de uma loja e amigo do policial Shin Nakamoto. Shin, que acabou de receber uma patrulha no bairro, conhece Seiji, um rapaz mais velho, desde que ele estava no ensino médio –  quando Seiji também trabalhou na força policial.



A história se desenvolve a partir do relacionamento homoafetivo entre os dois, que começa de forma intensa. No decorrer dos capítulos, somos apresentados a flashbacks da amizade dos garotos, o que nos aproxima dos personagens e nos faz entender a pureza e simplicidade das situações vividas pelo casal de protagonistas.


Seiji é mais extrovertido e brincalhão, enquanto Shin é mais tímido e cheio de dúvidas e conflitos internos. Seiji tem dificuldades de se entregar no relacionamento mesmo sendo mais velho, o que nos rende ótimas cenas e diálogos entre ambos.



Outro ponto forte e de destaque do mangá fica para seu traço e montagem de quadros: eles transmitem as cenas de forma natural e coesa, dando vida às expressões e situações mesmo que às vezes não levem diálogos, apenas onomatopeias.


Modelos e ícones de empoderamento para LGBTS não existiam com a mesma frequência e intensidade há 10, 15, 20 anos. Então era e ainda é comum existir homens com problemas de aceitação sexual por pura pressão social. Muitos levam uma vida dupla e conseguem até manter relacionamentos heterossexuais, tornando-se tradicionais nos costumes e liberais no sigilo.


E tabus como bissexualidade entre homens são assuntos que não podem ser citados em qualquer canto da internet sem que sejam considerados como "militância". Como se não houvesse espaço para esse tipo de debate e fosse algo proibido.


Mas graças a autores como o autor da HQ Solo do Homem de Gelo de 2017, Sina Grace, essa situação vem mudando, mesmo que a passos de formiga. Grace foi o responsável por trazer essa abordagem contemporânea e dar sentido narrativo e representativo para o personagem quando ele saiu do armário.



Grace chegou a falar em algumas entrevistas que a própria Marvel o limitava editorialmente e pontuava sobre o que ele poderia falar em coletivas de imprensa, o que para o autor era algo infeliz e ainda mais retrógrado. Mas mesmo assim o autor conseguiu representar bem o homem, que depois da fase da adolescência se aceita e resolve seus conflitos internos.


Mas é um Yaoi meu pa* (pai)!


Como havia citado no começo do texto, o mangá é para maiores de idade. Sendo assim, é de se esperar que entregue uma história apelando para o sex appeal de policiais fardados e mãos grandes.


Boku no Omawarisan é um mangá que tem muito a oferecer não apenas para seu público alvo, mas também para quem quer conhecer melhor outras histórias que não sejam apenas de um herói musculoso, playboy e que faleceu estralando os dedos.


Embarque em uma jornada sexy, romântica e engraçada com Boku no Omawarisan! Caso tenha interesse, o título pode ser lido no site da euphoriascan.


Quer saber mais sobre o universo GEEK? Então siga o Otageek no Twitter,  no Facebook e no Instagram.





O Otageek é um portal de jornalismo cultural independente que produz conteúdo sobre cultura pop com uma abordagem mais próxima do Jornalismo e distante dos clickbaits e fake news.

© 2020 - Otageek BR . All Rights Reserved.