• Lucas Almeida

7 maiores injustiças do Oscar 2020


Essa semana saiu os indicados da premiação cinematográfica popularmente conhecida como Oscar. Dessa forma, fez com que nós lembrássemos de nomes que realizaram um excelente trabalho no ano de 2019 e que infelizmente não foi escolhido pela Academia de Artes e Ciência Cinematográfica.


Desde que a famosa e mais popular festa de premiação aos filmes do ano existe, tivemos momentos a se discutir sobre as injustiças de tais obras e pessoas envolvidas que foram esquecidas no fechamento dos escolhidos a concorrer nas demais categorias. Por isso, venho a lembrar dos injustiçados da 92.ª cerimônia de entrega Academy Awards, ou Oscar 2020.


1 - Uncut Gems e Adam Sandler

Filme super elogiado pela crítica e público, foi brutalmente esquecido nas indicações do Oscar 2020. Não sendo indicado a nenhuma categoria da premiação, a obra tem Adam Sandler como protagonista, no papel até então considerado o melhor de sua carreira. O filme é dirigido pelos irmãos Josh Safdie e Benny Safdie, que em 2017 ficou conhecido pelo grande público pelo filme “Bom comportamento”, que recebeu inúmeras críticas positivas e o reconhecimento aos irmãos. Bem, por mais que as categorias estavam superconcorridas, os irmãos Safdie e Sandler poderia muito bem ter sido lembrado pela academia, e isso só comprova o receio em indicar atores que vieram ou trabalham com comédia e em dar a importância a novos diretores.


2 - Jennifer Lopez

Com uma atuação surpreendente, a atriz era cara certa na disputa pela estatueta do Oscar. O filme “As golpistas”, super elogiado pela crítica e em demais festivais, deram como certo a indicação de melhor atriz coadjuvante a Lopez. Essa indicação daria uma virada e tanto na carreira da já consagrada cantora, que durante a sua trajetória como atriz, já chegou a ser indicada a inúmeros Framboesas de Ouro.


3 – Meu Nome é Dolemite

A Netfilix conseguiu colocar vários filmes e atores dentre as variadas categorias do Oscar desse ano. Porém, “Meu nome é Dolemite” foi completamente esquecido pela academia. Filme que teve a volta de Eddie Murphy, realizando um belíssimo trabalho ao interpretar o Rudy Ray Moore. O filme retrata a vida do comediante, ator e cineasta na década de 70, que de forma magistral o diretor Craig Brewer conseguiu nos passar toda magia, seja nas músicas e ambientação daquela época. Assim, sendo um dos pontos fortíssimos do filme os figurinos e penteados, que trazem todo groove e estética própria da comunidade negra dos anos 70, nos imergindo em toda sua cultura e apaixonante época.


4 – Robert Pattinson

É incontestável o amadurecimento que Pattinson teve durante todos esses anos como ator. Ao escolher bem os filmes e diretores com quem trabalhar, Pattinson obteve vários desafios e personagens distintos para adaptar, o levando até a incrível interpretação em “O Farol”. O ator que começa como um jovem marinheiro, acaba se transformando no decorrer do filme. Seja em obter coragem, valentia, mas em que ao perder a sanidade, é onde Pattinson brilha. Conseguindo transmitir em seu olhar, sua voz e trejeitos, toda complexidade e loucura que seu personagem pede. Porém, a academia não reconheceu dessa forma, esquecendo-o completamente das premiações.


5 - Lupita Nyong'o

O ignorar a atuação da atriz, acabou sendo um dos maiores absurdos dessa edição do Oscar. Lupita além de interpretar 2 personagens em “Nós”, que são completamente distinto um do outro, ela consegue fazer isso de uma forma magistral. A forma leve e preocupada que uma mãe tem em relação a sua família, até a completa loucura que sua cópia trás em seu olhar e sua voz, é assustadoramente brilhante. E se lembrarmos dos problemas de anos anteriores que o Oscar vem tendo a não indicação de atores negros, é de se preocupar o esquecimento da atriz, que sem dúvida realizou a melhor atuação de sua carreira e uma das melhores do ano.


6 - Greta Gerwig

O crescimento da diretora, roteirista e atriz na indústria cinematográfica é incontestável. Ano a pós ano, greta vem se aperfeiçoando em contar lindas e importantes histórias que precisam ser vistas. Em “Adoráveis mulheres” não foi diferente! A diretora transita entre o clássico e o pop junto a um elenco estelar, sem focar em levantar alguma bandeira. Greta impõe a sua personalidade, em um filme divertido, porém sem perder a sua delicadeza. Conseguindo homenagear a obra original, com toda a essência e importância que a história precisa. O mesmo indicado a melhor filme e melhor roteiro adaptado, esse assinado por ela. Acabou sendo muito estranho a não indicação de Greta na categoria de melhor direção. É válido lembrar que em 2018, Greta foi a única mulher indicada nessa mesma categoria por "Lady Bird", categoria que neste ano será apenas disputada por homens.


7 - Taron Egerton e Rocketman

O ator que interpretou, dançou e cantou de uma forma estupenda boa parte da vida conturbada de Elton John, não poderia estar de fora dessa premiação. Se pararmos para pensar que na edição do ano anterior Rami Malek e Bohemian Rhapsody ganharam inúmeros prêmios, sendo que o filme conta com vários problemas. É de se incomodar que Egerton e Rocketman não estejam indicadas as principais categorias da premiação. O filme que não se obtêm de contar os erros de Elton, com números musicais de encher os olhos, e uma atuação incrível de Egerton. A obra foi apenas lembrada na categoria de melhor canção original por “(I'm Gonna) Love Me Again”, composta pelo próprio Elton John e Bernie Taupin.

O Otageek é um portal de jornalismo cultural independente que produz conteúdo sobre cultura pop com uma abordagem mais próxima do Jornalismo e distante dos clickbaits e fake news.

© 2020 - Otageek BR . All Rights Reserved.