• orfeosuncosta2

7 filmes 'Cult' para quem está cansado da mesmice de Hollywood - Parte II


A maioria das pessoas sabe que filmes 'cult' seriam o contrário do que muitos filmes de Hollywood abordam, mais não é apenas isso. A grande concepção dessa categoria de filmes acaba sendo mais abrangente que isso, pois o filme é cultuado por várias questões.


Uma forma de um filme se tornar cult é sua natureza controversa, que muitas vezes quebra paradigmas, seja por seu conteúdo violento, horror ou quebra de tabus. Isso nem sempre está relacionado à época que foi lançado, como alguns filmes recentes que se enquadram nesse meio provam.


Por isso, decidi criar uma continuação da minha outra matéria e trago a vocês mais 7 filmes cults pra quem está cansado da mesmice ou clichês de filmes de Hollywood.

Conteúdo recomendado:


1. MONSTROS (FREAKS, 1932)

Para grande parte dos filmes de terror, a polêmica é seu melhor marketing, atraindo a atenção do público, como por exemplo O Exorcista ou a Bruxa de Blair. Mais isso não é algo tão novo assim.


O filme Monstros, de 1932, causou bastante polêmica entre expectadores, sendo banido de diversos países e tendo até relatos de pessoas que passaram mal durante sua projeção. Mais apesar de ser descoberto 30 anos depois de seu lançamento, essa verdadeira obra de arte ''peculiar'' possui admiradores até os dias de hoje.

O longa conta a história de Cleópatra (Olga Beclanova), uma trapezista que se relaciona com o forte Hércules (Henry Victor), mas que por interesses pessoais, casa-se com o anão Hans (Harry Earles), herdeiro de uma enorme fortuna. Porém, os demais integrantes do circo onde Hans vivia percebem o interesse dela no dinheiro de seu amigo e então planejam vingar-se da trapezista. Confira o trailer:


2. SUSPIRIA (2018)


Alguns filmes conseguem marcar uma geração inteira por terem grande representação na memória de uma infância ou adolescência. Existem os que marcam pela grande reflexão que causam e existem aqueles que nos perturbam tão profundamente que permanecem em nossa mente mesmo se passando muito tempo. Suspiria é com certeza é um desses filmes.

O longa é um remake de de Luca Guadagnino, lançado em 1977, que ficou marcado na história e eternizado por ser bem construído e desenvolvido tanto em sua trilha sonora, quanto roteiro.


Bom, vocês podem estar pensando que esse de 1977 que deviria ser o "cult" aqui. Porém, seu remake conseguiu entregar por completo toda premissa, horror e beleza. O desenvolvimento dessa história fantástica é mais assertivo, já considerado um clássico, mesmo com dois anos de lançamento. O elenco conta ainda como Tilda Swinton, Dakota Johnson e Chloe Grace Moretz.

O enredo permanece o mesmo do original: Sisie Bannion (Dakota Jonhson) chega a Berlim de 1977 para estudar numa renomada escola de dança chamada Markos Dance Academy. Lá, se depara com mulheres de personalidades fortes, em meio há uma ambiente estranho, repleto de silêncio e coisas inexplicáveis.


Com o passar dos dias, Susie se vê sendo arrastada para o centro de uma teia de feitiços das professoras da academia,e se descobre no meio de um coven onde acreditam que Helena Markos (Tilda Swinton) é a encarnação da Mãe Suspiriorum, uma espécie de entidade cultuada na academia. Confira o trailer:


3. THE NIGHTINGALE (2018)


The Nightingale é mais um filme recente que rendeu muitas críticas e já é considerado um dos filmes mais promissores tendo uma mulher em sua direção. A diretora é a australiana Jennifer Kent, que ficou conhecida após seu trabalho em The Babadook, filme de terror lançado em 2014.


Pode se dizer que o filme The Nightingale não é para pessoas de estômago fraco. Violência sexual e abusos psicológicos fazem do início do filme algo muito marcante, sem contar os contextos históricos nele retratado, como a colonização da Austrália em 1825, marcada por grandes massacres da tribo indígenas dos aborígines e o choque direto em suas culturas.

O filme narra a história de Claire, uma moça irlandesa vivendo na Austrália Colonial que, após ser vítima de uma grande tragédia percorre, uma região selvagem em busca de vingança contra os soldados ingleses que mataram seu marido e seu filho. Confira o trailer:


4. O FABULOSO DESTINO DE AMÉLIE POULAIN (2001)


Deixando o clima um pouco mais leve, com relação aos filmes anteriores, temos aqui o exemplo do poder da linguagem audiovisual, que mostra que a sensibilidade e o amor continuam vivos no cinema. Esse é o caso de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, conhecido até hoje por sua leveza, doçura, lições e mostrando nuances da individualidade e o prazer da inocência.

O longa centra na história da parisiense Amélie, uma jovem que cresceu meio afastada das outras crianças por conta de seu pai. Após sua morte, ela se muda e vai trabalhar em um café, onde tudo é novo e a fascina. De certa forma age de modo particular, por conta de sua criação, o que dá um ar de bem original ao filme.


Certo dia, encontra uma caixa com brinquedos e fotografias escondida e a partir daí, parte em busca do dono. Dali em diante, Amélie nota o que pode fazer pelas pessoas. Confira o trailer:

5. O LABIRINTO DO FAUNO (2006)


A imaginação de uma menina durante o período da guerra civil espanhola se une nesse longa e distorce a realidade a ponto de fazer de uma guerra um cenário secundário para a coroação de uma princesa. Vendido como um thriller de fantasia, O Labirinto do Fauno segue uma linha tênue como refúgio do psiquismo de sua protagonista, fazendo questionar até que ponto aquilo tudo seria sua imaginação.

Nessa obra de arte do cinema, acompanhamos a história de Ófelia, uma criança de 11 anos que se encontra entre o mundo infantil e o mundo adulto. A trama se desenvolve com a princesa do submundo, que se encontra em um local onde seres fantásticos e a magia fazem parte de seus cotidianos. Entretanto, Ofélia também é a filha de um capitão do exército fascista de Franco. Confira o trailer:


6. A PELE QUE HABITO (2011)


Quando qualquer obra cinematográfica tem alguma conexão com o tão famoso Almodóvar, sabemos o quão profundo, delicado e elegante seus trabalhos podem ser. Em seu longa A Pele que Habito, o artista chega ao paroxismo de mescla de gêneros, levando para tela essa obra angustiante em certo ponto, doentia ao aprofundar nas emoções humanas e, ao mesmo tempo, uma narrativa extraordinariamente sóbria, espontânea e com uma intensidade criadora, quando retrata suas obsessões como solidão, traição, identidade sexual e morte.

Nessa obra, Roberto Ledgard (Antonio Banderas) é um cirurgião plástico que mora com sua filha que ficou com alguns problemas psicológicos após a morte de sua mãe. Com o intuito de socializar novamente sua filha, ele incentiva a levá-la a um encontro. O cirurgião pensa que sua filha foi abusada e elabora uma vingança contra o suposto estuprador. Confira o trailer:



7. LABIRINTO (1986)

Labirinto é um filme que depois de vê-lo, vai te marcar para sempre. Tanto por sua trilha sonora, que não deixa a desejar - até porque temos a estrela David Bowie - como o elenco principal.


Fazer um filme com todos esses efeitos especiais foi com certeza um desafio para época. O figurino, maquiagem e cenário fizeram com que o filme fosse ganhando espectadores ao longo dos anos.


O longa tem como premissa a adolescente Sarah, uma garota que possui muita imaginação e acaba dando vida aos personagens de seu filme favorito, para que eles sumam com seu irmãozinho bebê. Mas quando o pequeno Toby realmente desaparece, Sarah precisa recuperar o irmão nesse mundo de conto de fadas e encarar o Rei dos Duendes (Bowie). Confira o trailer:

Gostou da nossa lista? Deixe nos comentários as suas sugestões de filmes e quem sabe não acontece uma terceira parte com mais indicações!


Conteúdo recomendado:



Se você gostou do nosso conteúdo, te convido a ler nossos outros textos e ouvir o nosso podcast!



Quer saber mais sobre o universo da cultura pop? Então siga o Otageek no Twitter, no Facebook e no Instagram.

otageek amazon prime .jpg